Vida Urbana

Manifestantes realizam protestos contra Temer na PB

Atos ocorreram na tarde desta sexta-feira (11) em João Pessoa.



Movimentos populares, centrais sindicais, ONGs e a sociedade civil organizada realizam na tarde desta sexta-feira (11) o “Dia Nacional de Paralisação, Mobilização e Greve”  com atos em diversas cidades da Paraíba. O objetivo dos protestos é criticar a política de desvalorização da educação, a Medida Provisória MP 746 que desmonta o Ensino Médio, a PEC 241 que congela os investimentos em saúde e educação pública por 20 anos.

>>> Tumulto marca ato contra a PEC-55 na Câmara de Campina Grande

Em João Pessoa, a concentração do ato está prevista para às 14h, no Lyceu Paraibano. O evento é organizado pela Central Única dos Trabalhadores (CUT), com a participação de movimentos como a Frente Brasil Popular e Povo sem Medo da Paraíba. Além disso, haverá manifestações nos Institutos Federais da Paraíba (IFPB) de Mangabeira e Jaguaribe, na capital, e de Cabedelo e Bayeux, na região metropolitana de João Pessoa. 

As manifestações tiveram início mais cedo em outros municípios paraibanos. Na cidade de Campina Grande, o povo foi às ruas pela manhã para protestar contra as medidas do governo que atacam a saúde e a educação. A caminhada saiu da Praça da Bandeira e se dirigiu para o Colégio Estadual da Prata.

As mobilizações no Sertão, no município de Cajazeiras, a mobilização teve início às 7h, na Praça Coração de Jesus. Também foram registrados atos em Sousa e em Picuí, onde estudantes do Instituto Federal da Paraíba (IFPB) de Picuí realizaram protestos. 

Estudantes protestam em frente ao IFPB de Picuí na manhã desta setxa-feira (11) 

De acordo com o Presidente da CUT-PB, Paulo Marcelo, toda mobilização dará voz e vez ao trabalhador e aos movimentos sociais. “Estamos vivenciando um clima crescente de insatisfação social com esses projetos que estão sendo votados contra o povo brasileiro. Querem congelar os investimentos durante 20 anos e isso só agrava ainda mais a crise econômica que estamos vivendo. Por isso, como forma de lutar contra o desmonte do estado e das políticas sociais estaremos nas ruas nesta sexta, juntamente com todos os trabalhadores e trabalhadoras mandando nosso recado à sociedade e aos políticos”, disse.