Vida Urbana

Suspeito diz à polícia que Vivianny foi morta por dois homens

Corpo encontrado em Bayeux, pode ser o da jovem desaparecida.



O homem preso por suspeita de participação no desaparecimento da vendedora Vivianny Crisley  no dia 20 de outubro, após uma festa no bairro dos Bancários, em João Pessoa, contou à Polícia Civil que outros dois homens mataram a jovem no dia seguinte ao desaparecimento. Na tarde desta segunda-feira (7), um corpo que pode ser o de Vivianny foi achado em uma mata na cidade de Bayeux.

De acordo com o delegado responsável pelas investigações, Reinaldo Nóbrega, o suspeito contou que saiu da casa de shows com Vivianny e outros dois homens - um deles estaria em um relacionamento com a vítima. “Na versão dele, eles foram para um bairro na Região Metropolitana de João Pessoa e lá ele pediu para ser deixado em casa", disse Reinaldo Nóbrega.

 Ele contou à polícia que foi deixado em casa e que os outros dois seguiram com Vivianny em direção a Santa Rita ou Bayeux. "Em algumas horas, os dois indivíduos retornaram e confessaram para ele que tinham matado Vivianny”, contou o delegado.

Para a polícia, há a possibilidade do crime ter saido um latrocínio ou violência sexual. “Pode ser um crime patrimonial, onde eles tenham matado para roubar ou matado depois de roubar, para assegurar o produto do roubo; mas também pode ter sido em decorrência de uma violência sexual. Para isso a gente precisa demais do resultado da perícia que foi solicitada ontem”, afirmou o delegado Reinaldo Nóbrega.

Laudo deve sair em dez dias

O laudo que irá confirmar se o corpo achado no matagal em Bayeux é de Vivianny sairá em 10 dias. A mãe de Vivianny Crisley compareceu à sede do IPC para fornecer material genético para exame de DNA. Na manhã desta terça-feira, peritos do IPC disseram que o corpo achado na mata foi incendiado usando pneus de bicicleta, e a suspeita é de que a queima do corpo só tenha sido feita depois da prisão do primeiro suspeito, na sexta-feira (4).

 “O corpo poderia perfeitamente estar lá desde o dia do desaparecimento, no dia 21 de outubro, e a partir do momento da prisão dele [do suspeito], algum comparsa ou parceiro no crime ter chegado lá para tentar eliminar qualquer tipo de vestígio”, explicou Reinaldo Nóbrega. O delegado disse ainda que a polícia só chegou até o corpo por meio de uma denúncia anônima. No local, foram encontrados o cartão de crédito com o nome da vítima e uma sandália que ela estaria usando na noite em que desapareceu.

Viaianny foi vista pela última vez na noite do dia 20 de outubro no bar Bebericos Prime, localizado na principal dos Bancários. A polícia teve acesso a imagens de vídeo que mostrariam Vivianny com o desconhecido, que, por sua vez, faria parte um grupo de pessoas com as quais a jovem teria se aproximado durante a festa.