Vida Urbana

Sete bairros têm alto risco de infestação do Aedes Aegypti em CG

Apesar disso, houve redução de 44% nas localidades com alto índice.



Sete bairros de Campina Grande estão com alto índice de infestação do Aedes Aegypt, mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya. A informação é do mais recente Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypt (Liraa), realizado entre os dias 24 e 28 de outubro e divulgado na manhã desta segunda-feira (31) pela Secretaria Municipal de Saúde. Ainda conforme o Liraa, houve uma redução de 44% no número de localidades com alto índice de infestação.

Conforme o levantamento, os bairros onde foram registrados os maiores índices foram, José Pinheiro, Mirante, Monte Castelo e Santo Antônio, todos com 5,5%. Já nos bairros da Malvinas II, o percentual de infestação chegou a 4,5. Ainda estão com alto índice os bairros da Liberdade e São José, com 4,0%. O que chama a atenção é que nenhuma localidade apresentou bairro risco de infestação, ao contrário do que foi registrado no Liraa anterior, quando São José da Mata registrou 0,5%. Outros 44 locais registraram médio índice.

Ainda segundo LIRAa, o bairro como menor índice de infestação do Aedes foi o Malvinas I (1,0%). Em seguida vêm Araxá, Conceição, Monte Castelo, Jardim Continental e Palmeira, que apresentaram 1,2%. Na zona rural, o distrito de São José da Mata registrou 1,3%, enquanto Galante ficou em 1,7%.

O Ministério da Saúde considera como baixo risco índices de infestação predial menor ou igual a 0,9%, enquanto que os índices de 1% a 3,9 são considerados de médio risco e acima disso já é tido como alto risco.