Vida Urbana

Site criado por alunos da UEPB ajuda consumidor a economizar

Ferramenta foi desenvolvida nos cursos de Computação e Administração.




Em tempos de crise, inflação alta e aperto financeiro, toda ferramenta que ajuda o consumidor a conter gastos e programar melhor o seu orçamento é bem-vinda. E foi com essa finalidade que um grupo de estudantes dos cursos de Computação e Administração, do Centro de Ciências Exatas e Sociais Aplicadas (CCEA), Câmpus VII da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), em Patos, desenvolveu um site com informações de dados coletados dos produtos que compõe a cesta básica e, com isso, auxiliam os consumidores a economizar na hora de ir às compras.

O site Índice de Preços ao Consumidor - Patos/PB é resultado de um projeto de extensão coordenado pelo professor José Odilon Avelino da Cunha. O trabalho começa com a coleta de dados que é feita pelos próprios estudantes de Administração em 39 estabelecimentos de Patos, entre supermercados, açougues e panificadoras. Os demais estudantes do curso de Computação atuam no CCEA realizando a análise dos dados coletados referentes a 12 itens da cesta básica, de modo a apontar o estabelecimento com os preços mais acessíveis e disponibilizar estas informações no site.

De acordo com o professor Odilon, os estudantes utilizam a mesma metodologia da cesta básica de alimentos do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). No total, 17 estudantes estão envolvidos no projeto, que também conta com a ajuda de três professores, sendo dois de Computação e um de Administração.

Ao acessar o site, os consumidores encontram os nomes dos estabelecimentos, os preços dos itens pesquisados e as comparações com a mesma pesquisa realizada no mês anterior. Para facilitar a vida dos consumidores, os estudantes também desenvolveram um mapa da cidade de Patos que ajuda na localização dos estabelecimentos. “Mensalmente vamos a campo, coletamos os dados, fazemos a tabulação e lançamos as informações no site”, sintetizou professor Odilon, acrescentando que o trabalho tem surtido efeito bastante positivo, uma vez que muitos consumidores têm recorrido a esta ferramenta antes de fazer a feira.

Os estudantes envolvidos no projeto descobriram que muitos consumidores não têm o costume de fazer a pesquisa de preços nos estabelecimentos antes de efetuar as compras. Estudante de Administração, Renata Nóbrega disse que o site facilita a vida desses consumidores que agora podem ter acesso às informações sem precisar sair de casa. “Ao acessar o site, as pessoas podem observar que existem opções e variações de preços de um estabelecimento para outro. O site é uma forma delas terem acesso a essas informações de forma digital e rápida, sem ter o desgaste de sair de estabelecimento em estabelecimento para saber onde há o melhor preço. Elas podem sair de casa já sabendo o local onde poderão ter mais economia”, destacou.