Vida Urbana

Sobrevivente de duplo homicídio é achado morto 24h depois do crime

Segundo a polícia, o homem respondia pelo crime de estupro.



Um dia depois de escapar de um atentado que deixou duas pessoas mortas em Santa Rita, na Região Metropolitana de João Pessoa, um jovem de 27 anos, foi encontrado morto na noite da quarta-feira (12), no quintal de uma casa no distrito rural de Livramento. De acordo com a Polícia Militar, Alisson Oliveira era o dono da casa onde aconteceu o duplo homicídio e a suspeita é que ele seria o alvo dos atiradores na noite da terça-feira (11).

Segundo o coronel Júlio César de Oliveira, da Polícia Militar, antes de ser achado morto à tiros, ele chegou a telefonar para a companheira. “Ele havia telefonado para ela dizendo que estava chegando em casa porque se encontrava sendo perseguido e ameaçado por alguns indivíduos”, disse.

O coronel Júlio César ainda informou que a vítima respondia na 1ª Vara da comarca de Santa Rita pelo crime de estupro, e que possivelmente poderia estar envolvidos em novos crimes. “O local onde ele foi encontrado morto é uma área de atenção nossa em razão do tráfico e consumo de drogas. Segundo familiares, ele não estava trabalhando e estava sempre em um local desconhecido pela companheira e pela mãe, fato que nos leva a crer que ele estava em alguma atividade ilícita juntamente com as vítimas do duplo homicídio”, concluiu o coronel.

Crime anterior

Na terça-feira, Alisson estava com João Estevan do Nascimento, de 48 anos, e Willian de Oliveira Alves, de 22 anos numa festa em uma casa localizada em Cicerolândia, distrito de Santa Rita, quando um trio chegou no local e atirou contra a mesa onde eles estavam. João Estevan morreu em frente a casa, já Willian conseguiu correr por poucos metros antes de ser baleado e morrer. Alisson conseguiu correr para dentro de casa juntamente com o filho de João Estevam e ambos escaparam dos tiros.

Paulo Alves da Silva, agricultor, pai de Willian, lamentou o homicídio. Segundo ele, este é o terceiro filho que ele perde assassinado. O filho de José Estevan, que preferiu não se identificar, acredita que os dois foram mortos por engano, e que o alvo do atentado seria Alisson Correia.

Os casos estão sendo investigados pela Delegacia de Homicídios da Polícia Civil. Até as 8h30 desta quinta-feira (13), nenhum suspeito havia sido preso.