Vida Urbana

Jubileu Mariano da Diocese de Campina acontece nesta quarta

Evento festeja Nossa Senhora Aparecida, a Padroeira do Brasil.



Divulgação/Diocese CG
Divulgação/Diocese CG
Evento acontece com a chegada da Imagem Peregrina de Aparecida à Catedral.

A Catedral de Campina Grande promove, nesta quarta-feira (12), o Jubileu Mariano Diocesano, para festejar a Padroeira do Brasil. Será um dia inteiro de programação com louvor, Consagração a Nossa Senhora, peregrinação à Porta Santa, Missa com o bispo diocesano, Dom Manoel Delson, e carreata.

O evento faz parte da programação do Ano da Misericórdia e da preparação para as comemorações dos 300 anos do surgimento da imagem de Aparecida no Rio Paraíba, que acontecem em outubro de 2017 no Santuário Nacional.

O evento acontece com a chegada da Imagem Peregrina de Aparecida à Catedral. Ela está na Diocese desde o dia 17 de abril e durante este período já visitou 22 paróquias, percorrendo Brejo, Sericar, Curimataú e Cariri paraibanos.

A imagem chegou à cidade de Campina Grande no dia 30 de setembro, na Paróquia de Nossa Senhora do Rosário. No dia 6 de outubro ela foi acolhida na Paróquia de Nossa Senhora da Conceição (Catedral). Até o dia 12 serão 6 dias de programação.


A Carreata desta quarta-feira será após a Missa, por volta das 17h30, para levar a imagem peregrina para a Paróquia de Nossa Senhora de Fátima, no bairro da Palmeira.

HISTÓRIA

A aparição da imagem ocorreu em 1717, época das Capitanias Hereditárias. O governante das capitanias de São Paulo e Minas de Ouro estava de passagem pelo Vale do Paraíba, mais precisamente por Guaratinguetá.

Animados com a visita, o povo daquela localidade resolveu fazer uma festa de boas-vindas e para isso chamaram três pescadores, Domingos Garcia, João Alves e Filipe Pedroso para lançar as redes no rio e pescar bons peixes.

O fato era que, naquela época, meados de Outubro, não era tempo de peixes. Porém, como não podiam contradizer o pedido, rezaram pela proteção e benção da Virgem Maria e de Deus para que pudessem voltar à terra firme com fartura.

Depois de inúmeras tentativas sem sucesso, eis que surpreendentemente eles pescaram o corpo de uma imagem. Curiosos, lançaram novamente as redes e “pescaram” uma cabeça que se encaixou perfeitamente ao corpo. Depois deste encontro, que nos dias de hoje é representado em todo o Brasil no dia 12 de outubro emocionando os fiéis, o barco se encheu tanto de peixes que ele quase virou!

A partir daí, a devoção da Santa foi se espalhando. Primeiro nas casas, depois se construiu uma capela, depois uma basílica, até chegar ao quarto maior santuário do mundo, o Santuário Nacional de Aparecida localizado na cidade de Aparecida, interior do Estado de São Paulo. (Fonte: Santuário Nacional)