Vida Urbana

Custo de vida em tem alta acumulada de 16,11%

Entre setembro e agosto o acréscimo foi de 1,16% em João Pessoa. Dados foram divulgados pelo Ideme.



Kleide Teixeira
Kleide Teixeira
Seis grupos que compõem o custo de vida apresentaram aumentos de 0,78% a 4,64% nos preços médios em seus produtos e serviços

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da cidade de João Pessoa, mais conhecido por custo de vida, subiu em média 1,16% no mês de setembro em relação a agosto, ficando os acumulados no ano em 11,53% e 16,11% nos últimos doze meses. Segundo o Instituto de Desenvolvimento Municipal e Estadual (Ideme), esse resultado é estável em relação a agosto, quando se registrou 1,19%. No mesmo período do ano anterior, o aumento foi de 0,32%.

De acordo com o Ideme, seis grupos que compõem o custo de vida apresentaram aumentos de 0,78% a 4,64% nos preços médios em seus produtos e serviços. A exceção foi o grupo Serviços Pessoais: único a apresentar uma queda de 1,14%, devido aos decréscimos de preços ocorridos em itens como: fumo e bebidas alcoólicas (3,01%), serviços pessoais (1,83%) e educação (1,47%). 

Veja a pesquisa completa no site do Ideme

Dentre os grupos de maior peso no estudo está o grupo alimentação, que apresentou acréscimo de 0,78% neste mês de setembro influenciado pelos aumentos ocorridos nos itens: leite e derivados (6,43%), panificados (3,40%), hortaliças e verduras (3,00%), alimentação fora (2,07%), frutas (1,48%), bebidas não alcoólicas e infusões (1,36%) e enlatados e conservas (2,01%).  Os itens que mereceram destaque por apresentarem quedas de preços foram: cereais (6,11%), pescado (6,44%), farinhas, féculas e massas (4,52%), sal e condimentos (3,11%) e carnes e peixes industrializados (1,70%).

Nos demais grupos que compõem o estudo do Ideme, o grupo Transporte e Comunicação apresentou aumento de preços médios de 2,06%; Saúde e Cuidados Pessoais com o acréscimo de 1,66%; Habitação com aumento de 0,90% e o grupo Artigos de Residência com elevação de preços de 1,31%. Já o grupo Vestuário, a exemplo do mês anterior, foi o que apresentou maior aumento mensal 4,64%, sendo influenciado principalmente pelos acréscimos de preços médios verificadas nos itens: roupa de mulher (7,64%), joias e tecidos (4,24%), calçados e bolsas (3,38%) e roupa de criança (2,22%).