Vida Urbana

PF vai abrir inquérito contra suspeito de chacina na Espanha

Patrick Gouveia é o único suspeito das mortes do tio, da esposa dele e dos filhos.



Reprodução/TV Globo
Reprodução/TV Globo
Justiça da Espanha emitiu um mandado de prisão contra Patrick

A Polícia Federal vai abrir um inquérito para investigar Patrick Gouveia no Brasil. O jovem é sobrinho de Marcos Nogueira e único suspeito do assassinato do tio, da esposa dele, Janaína Santos Américo, e dos dois filhos do casal, na Espanha. Em nota, divulgada na quarta-feira (5), a PF disse que o mandado de prisão contra Patrick, expedido pela Justiça espanhola, não pode ser cumprido no Brasil

Para o governo espanhol, não há dúvida que Patrick é o autor do crime. Segundo o ministro do interior, Jorge Fernandez Diaz, o suspeito inclusive antecipou a volta para o Brasil possivelmente para evitar ser detido. A viagem estava marcada para 16 de novembro, mas acabou acontecendo em 19 de setembro, um dia após a descoberta dos corpos. No dia 22 de setembro, um juiz determinou um mandado de prisão e um mandado de detenção europeu e internacional contra o suspeito.

De acordo com a PF (veja a nota completa no final), desde que tomou conhecimentos dos fatos, a corporação vem cooperando com as autoridades espanholas. Sobre o pedido de prisão para a extradição de Patrick, a polícia ressalta que a Constituição Federal veda esse tipo de medida.
 

A Polícia Federal ratificou que tomou o depoimento de Patrick Gouveia e informou que encaminhou ao Ministério da Justiça e Cidadania pedido de autorização para instauração de um inquérito policial próprio. E para avançar na investigação no Brasil, a PF espera que as autoridades espanholas encaminhem as provas que têm contra o suspeito.
 

Suspeito é um psicopata

Em uma entrevista coletiva, nesta quarta-feira (5), a Guarda Civil da Espanha classificou Patrick como um psicopata, narcisista e que não tem “apego à vida humana”. Investigadores dizem ter provas inquestionáveis de que o jovem cometeu o crime.

De acordo com as informações da polícia espanhola, o suspeito não tinha “nenhum tipo de relação com o crime organizado” e também não há pistas de que ele tenha contado com um cúmplice para cometer os assassinatos.
 

Familiares de Janaína Santos Américos afirmam que ela relatou por diversas verses atitudes agressivas de Patrick dentro de casa. O sobrinho de Marcos Campos Nogueira morou com a família por um período de quatro meses.
 

“A gente já suspeitava, mas tinha o devido cuidado de não falar isso antes da polícia divulgar os resultados”, afirmou o primo de Janaína, Pedro Rafael, sobre a acusação contra Patrick. “Ela [Janaína] mostrava medo dele. Patrick tinha atitudes grosseiras, principalmente com os filhos de Janaína. Usava frases como 'joga essa criança no lixo', 'essas crianças têm que morrer'”, afirmou.

Nota da Polícia Federal sobre o caso

Em relação à morte de uma família de brasileiros na Espanha, a Polícia Federal esclarece que, desde que tomou conhecimento dos fatos, coopera com as autoridades policiais espanholas. Até o momento, foram colhidos elementos para identificação das vítimas e realizadas oitivas formais das respectivas famílias.

Sobre o pedido de prisão para extradição do brasileiro suspeito de envolvimento no crime, formulado pelas autoridades espanholas por meio da INTERPOL, deve-se salientar que a Constituição Federal veda a extradição de brasileiros e, consequentemente, a prisão para este fim.

Não obstante, a Polícia Federal realizou a oitiva do suspeito e encaminhou ao Ministério da Justiça e Cidadania pedido de autorização para instauração de inquérito policial, com base na Lei nº. 10.446/02.

Nos termos dos tratados de extradição e auxílio jurídico mútuo firmados entre Brasil e Espanha, a Polícia Federal aguarda ainda a remessa, pelos canais adequados, das provas colhidas pelas autoridades espanholas, indispensáveis para a elucidação dos fatos no Brasil.