Vida Urbana

"Se for, que vá para o inferno", diz tio de suspeito de matar família na Espanha

Walfran Campos, irmão de marcos Nogueira, está na Espanha para acompanhar o caso de perto.



Reprodução/TV Globo
Reprodução/TV Globo

François Patrick Gouveia, de 19 anos, agora é o único suspeito do crime que matou Marcos Campos Nogueira e Janaína Santos Américo, ambos de 39 anos, e os dois filhos do casal, de 4 e 1 ano de idade, na cidade de Pioz, região de Guadalajara, na Espanha. Walfran Campos, irmão de Marcos, viajou para a Espanha para tentar liberação dos corpos e acompanhar de perto as investigações. Os desdobramentos das investigações seguiram mudando a visão de Walfran em relação aos suspeitos do crime bárbaro.

Em entrevista ao El Español, ele diz que se põe dentro da cena do crime, e diz que não entende a motivação de tudo. "Eu estou como se fosse em 3D [na cena do crime], eu me imagino ali, observando toda a cena. Ponho em minha cabeça o momento em que tudo aquilo aconteceu na casa do meu irmão. Eu estou lá, vejo o que foi feito com eles: como eles pegam na mão, em seguida, no cabelo, pescoço, os pequenos. Matou sem saber porquê, sem culpa. Eu paro para pensar e não entendo não acredito", declarou ao portal espanhol.

Walfran mostra revolta com o caso, e afirma ainda que poderia até matar o acusado se soubesse quem fosse. "Eu quero saber quem fez isso. Se eu soubesse quem fez, eu mataria", disse. Acrescentando que tem fé em Deus que vai ajudá-lo a encontrar os verdadeiros culpados.

Patrick chegou no Brasil uma semana depois que os corpos da família foram encontrados esquartejados na casa em Pioz. E segundo, Walfran, o sobrinho se trancou em seu quarto e não falava muito, e ainda desconfiava de tudo e de todos. "Eu quero que a polícia investigue, mas se [Patrick] vivia com eles, é normal que haja alguma prova nas roupas. Quando toca no braço sem querer [também]. Não se pode por a culpa de nada até que a polícia investigue. Imagina como está a cabeça desse menino", relatou o tio de Patrick.

Porém, quando questionado se Patrick se confirmar como culpado do crime, o discurso pacífico é deixado de lado por Walfran Campos. Xingamentos e ofensas tomam conta das declarações do irmão de Marcos. "Se descubro que meu sobrinho matou meu irmão, quero que ele vá para o inferno, que vá para a prisão por toda sua vida", afirmou. "Mas não se pode por a culpa sobre ele, porque ainda não se sabe. No momento ele é inocente", completou.