Vida Urbana

Família morta na Espanha tinha DNA do sobrinho nos corpos

Informação foi passada à família de Janaína Santos pela polícia. Patrick Gouveia é o único suspeito.



Um detalhe da investigação da chacina de paraibanos na Espanha complica ainda mais a situação do único suspeito do crime, François Patrick Gouveia, que é sobrinho de Marcos Nogueira, o pai da família morta. Informações repassadas pela polícia espanhola aos familiares de Janaína Santos Américo, esposa de Marcos, dão conta que o material genético de Patrick foi encontrado nos corpos das vítimas e não apenas no chalé de Pioz onde aconteceu o crime.

De acordo com o primo de Janaína, Pedro Rafael, o irmão gêmeo dela, George Gunter Santos Américo, está na Espanha desde a semana passada para acompanhar as investigações. Ele viajou junto com uma outra parente e tem tido contato diretamente com agentes da polícia espanhola e com federais brasileiros que estão no país.

Inicialmente a imprensa espanhola tinha divulgado que o material genético de Patrick tinha sido encontrado na casa onde Marcos, Janaína e os dois filhos foram assassinados. Mas a polícia da Espanha deu mais detalhes aos parentes. “As digitais, o material, foram encontros nos corpos”, garantiu Pedro Rafael.

Segundo Pedro, isso desmonta um dos argumentos do advogado de Patrick, Eduardo de Araújo Cavalcanti, que disse em entrevista ao Fantástico, no último domingo (2), que o jovem não sabia onde a família estava morando, depois que eles deixaram Torrejón com destino a Pioz. O primo de Janaína ainda afirmou que essa informação também é inverídica, pois o chalé onde aconteceu o crime teria sido indicado a Marcos pelo próprio Patrick.

Para o governo espanhol, não há dúvida que Patrick é o autor do crime. Segundo o ministro do interior, Jorge Fernandez Diaz, o suspeito inclusive antecipou a volta para o Brasil possivelmente para evitar ser detido. A viagem estava marcada para 16 de novembro, mas acabou acontecendo em 19 de setembro, um dia após a descoberta dos corpos. No dia 22 de setembro, um juiz determinou um mandado de prisão e um mandado de detenção europeu e internacional contra o suspeito.

De acordo com a imprensa espanhola, a investigação trabalha com a tese de crime passional, acreditando que Patrick teria uma obsessão por Janaína. Pedro Rafael disse que não descarta essa hipótese, mas também pondera que o jovem pode ter cometido o crime em um momento de fúria por ter sido contrariado pelo tio.

A Superintendência da Polícia Federal na Paraíba confirmou que Patrick está no Brasil e que prestou depoimento de forma espontânea na semana passada. Mesmo não sendo investigado no Brasil, ele decidiu ceder amostras de sangue para comparar com o suposto material genético encontrado no local da chacina da família .

O advogado Eduardo de Araújo Cavalcanti disse que Patrick nega veementemente o crime. Ele garantiu também que o jovem não está foragido, pois a polícia tem conhecimento do endereço dele em João Pessoa.