Vida Urbana

Mulheres representam 53% dos consumidores que procuram o Procon-JP para reclamar direitos

Divulgação do perfil do público faz parte das ações alusivas ao Dia do Consumidor.





As mulheres são maioria entre as pessoas que procuram a Secretaria Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor de João Pessoa (Procon-JP) para reclamar direitos. O dado é de um levantamento do próprio órgão, que mostra que o sexo feminino representa 53,70% dos atendimentos que acontecem na sede do Procon-JP, enquanto os homens respondem por por 46,30%. A mulher também busca mais orientação pelo serviço 0800, com o percentual ultrapassando os 70%.

Os números de atendimento em 2018 no Procon-JP mostram que a faixa etária se situa dos 30 aos 41 anos (23,71%), seguida de 41 a 50 anos (19,64%), 51 a 60 anos (18,70%), 21 a 30 anos (14,99%), 61 a 70 anos (13,57%), mais de 70 anos (7,63%) e até 20 anos (1,76%). O horário de maior comparecimento é entre 9h e 12h.

“Como já está se tornando uma praxe, sempre abrimos o mês de março divulgando o perfil do público que vem ao Procon-JP, até como uma homenagem pela passagem do Dia Mundial do Consumidor, comemorado a 15 de março”, afirma o secretário do Procon-JP, Helton Renê.

Ele acrescenta que é importante ‘humanizar’ o consumidor que frequenta o SAC do Procon-JP. “Saber quem é a pessoa que registra a reclamação em nosso SAC faz com que ela deixe de ser apenas um número na estatística e isso é importante para trabalharmos melhor nossas atividades e ações, principalmente na área preventiva”, explica Helton Renê

Denúncias por bairros

É da Zona Sul de João Pessoa a maioria dos consumidores que chega ao Procon-JP. Mangabeira, Valentina, Bancários, Geisel e José Américo são os que mais mostram demanda. “Mas isso não quer dizer que outras partes da cidade fiquem muito atrás e podemos dizer que existe até um equilíbrio. Vem muita gente também de Tambaú/Manaíra, Oitizeiro, Cruz das Armas, Jaguaribe e Alto do Mateus”, afirmou o titular do Procon-JP.

Os estabelecimentos comerciais físicos e serviços registram mais de 95% do total das reclamações no Procon-JP. O comércio, de uma forma geral, e os serviços essenciais, já considerando os números para a telefonia, são os grandes vilões na relação de consumo pessoense. As reclamações por transações feitas através da internet são responsáveis por 2,28%.

Veja locais e horários de atendimentos do Procon-JP

Sede – segunda a sexta-feira, das 8h às 14h. Sede situada na Avenida D. Pedro I, nº 473, Tambiá;
MP-Procon – segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. Sede situada no Parque Solon de Lucena, Lagoa, nº 300, Centro;
Uninassau: segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. Núcleo de Práticas Jurídicas da Faculdade Uninassau, na Av. Amazonas, 173, Bairro dos Estados.
Telefones: 3214-3040, 3214-3042, 3214-3046, 2107-5925 (Uninassau) e 0800 083 2015


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.