Vida Urbana

Mortalidade neonatal na Paraíba é segunda maior do país

Dados são relativos ao ano de 2009 e as fontes das informações são Cartórios de Registro Civil de Pessoas Naturais, Varas de Família, Foros ou Varas Cíveis e os Tabelionatos de Notas.




Da Redação

Um estudo divulgado nesta sexta-feira (12) pelo IBGE revelou que o número de crianças que morrem em menos de 6 dias de vida na Paraíba é o 2º maior do país, perdendo apenas para o Estado de Alagoas. A pesquisa “Estatísticas do Registro Civil 2009” apresenta um levantamento do número de nascimento, óbitos, casamento, separações e divórcios.

Segundo a pesquisa, a taxa de mortes neonatal nos estados do Centro-Sul é de 6 a 9 óbitos por 1.000 nascidos vivos, enquanto que no Nordeste esse número supera os 13. Na Paraíba o índice é de 16 por mil. O problema é menor no Rio Grande do Sul e em Roraima, onde o índice atingiu apenas 5,6, já em Alagoas de cada mil crianças que nascem, 17,9 morrem em menos de seis dias.

Os dados são relativos ao ano de 2009 e as fontes das informações são Cartórios de Registro Civil de Pessoas Naturais, Varas de Família, Foros ou Varas Cíveis e os Tabelionatos de Notas.

O IBGE também divulgou dados relativos ao número de óbitos entre fetos com 28 semanas ou mais durante o ano passado. Na Paraíba foram registrados 451, sendo que 86 só na Capital, o que representa 19,01% do casos. Em relação à região, esse tipo de mortalidade do Estado representa 9,81%, já que o Nordeste registrou 4.596 óbitos.

No ranking dos estados da região, a Paraíba ocupa o 4º lugar, perdendo apenas para Bahia, que vem em primeiro, seguido de Pernambuco e Ceará. Os dados apontam ainda que esse casos acontecem principalmente nas mães com idades entre 20 e 29 anos, sendo que a faixa mais ativa se estende dos 15 aos 34.

Mas sobre o número de óbitos considerando a população total dos estados, a Paraíba fica em quinto lugar, se levando em consideração apenas as mortes violentas, com 2.311 óbitos. Mas João Pessoa é apenas a 7ª capital nordestina mais violenta com 418 casos registrados, o que representa 18% do total. A capital paraibana fica a frente apenas de Aracaju (265) e Teresina (149).

Os homens continuam sendo as principais vítimas, entre os sexos a violência atinge eles em 86,8% dos casos, na Paraíba. A média é semelhante no Nordeste (86,5%) e no Brasil (84,03%).


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.