Vida Urbana

Mais de 50% das rodovias da Paraíba estão em situação boa ou ótima, diz CNT

Comparativo mostra um elevado índice de melhoria nas condições em um ano.




A qualidade das estradas da Paraíba melhorou entre 2018 e 2019. A constatação é da nova edição da Pesquisa CNT de Rodovias, divulgada nesta terça-feira (22). De acordo com o levantamento, mais de 51,2% da malha rodoviária paraibana estão em situação boa ou ótima. No ano passado, a pesquisa apontou 45,1% nesta classificação. De forma geral, a CNT viu uma piora nas rodovias nacionais.

De acordo com a pesquisa, o índice de rodovias consideradas ótimas foram de apenas 4,6% para 13,5%. As que têm a classificação como boa caiu de 40,5% para 38,7%. Também houve queda nos trechos avaliados como regular (26,6% para 23,2%) e péssimo (16,6% para 9,9%). Já os trechos em situação ruim são 14,7%, quando no ano passado eram 11,7%.

Ao todo, foram avaliados mais de 108 mil quilômetros de rodovias em todo o país. A pesquisa analisa toda a malha federal pavimentada e os principais trechos estaduais também pavimentados.

A pesquisa apontou apresenta problemas em 59% da extensão dos trechos avaliados. Em 2018, o percentual foi 57%. Também está pior a situação do pavimento (52,4% com problema), da sinalização (48,1%) e da geometria da via (76,3%). No ano passado, a avaliação foi 50,9%, 44,7% e 75,7% com problemas, respectivamente.

O número de pontos críticos identificados ao longo dos 108.863 quilômetros pesquisados aumentou 75,6%. Passou de 454 em 2018 para 797 em 2019. Destes, 130 são erosões na pista, 26 quedas de barreira, 2 pontes caídas e 639 trechos com buracos grandes. Entre 2017 e 2018, o número de pontos críticos já havia aumentado de 363 para 454 casos.

Além de abordar a situação das rodovias sob gestão pública e sob gestão concedida, o estudo também realiza o levantamento das infraestruturas de apoio, como trechos com postos de abastecimento, borracharias, concessionárias e oficinas mecânicas, restaurantes e lanchonetes disponíveis ao longo das rodovias.

Segundo a Pesquisa, as condições das rodovias impactam diretamente nos custos do transporte. Neste ano, estima-se que, na média nacional, as inadequações do pavimento resultaram em uma elevação do custo operacional do transporte em torno de 28,5%, sendo que o maior índice foi registrado na região Norte (+ de 38,5%). Transporte mais caro significa produtos mais caros e menor.

O presidente da CNT, Vander Costa, destaca a importância do investimento para que seja possível manter e expandir a malha rodoviária brasileira, garantindo a qualidade do tráfego de veículos. “É urgente a necessidade de ampliar os recursos para as rodovias brasileiras e melhorar a aplicação do orçamento disponível”, afirma. Segundo Vander Costa, “a priorização do setor nas políticas públicas e a maior eficiência na gestão são imprescindíveis para reduzir os problemas nas rodovias e aumentar a segurança no transporte”.

 


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.