Vida Urbana

Mais de 50% da população da Paraíba vive com restrição de serviços de saneamento básico

Levantamento mostra, por exemplo, que 50,8% não tem esgotamento sanitário.




Foto: Herbert Clemente/Arquivo

Cerca de 53,1% da população paraibana vive com pelo menos uma restrição a serviços de saneamento básico. Desse total, 16,8% não possui coleta direta ou indireta de lixo, 24% não tem abastecimento de água por rede geral e 50,8% não tem esgotamento sanitário por rede coletora ou pluvial. Os dados são da Síntese de Indicadores Sociais (SIS), divulgada nesta semana pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A SIS é feita com base na análise das condições de vida da população brasileira em 2018, tendo em vista aspectos como mercado de trabalho e estrutura econômica distribuição de renda e padrão de vida; e educação. O estudo é baseado, principalmente, em dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNADC).

Quanto às inadequações nas condições de moradia, o percentual é menor na Paraíba, de 12,5%. Nesse aspecto, 14% dos domicílios paraibanos não tem banheiro de uso exclusivo da casa; em 0,5% as paredes externas são construídas predominantemente com materiais não duráveis, como taipa não-revestida e madeira reaproveitada; em 4,3% há mais de três moradores por dormitório; e em 4,4% das residências o valor declarado do aluguel iguala ou supera 30% da renda domiciliar declarada.

Outros dados

A SIS também mostra que cerca de 37,8% da população paraibana mora em domicílio que tem alguma restrição à educação, maior taxa do Brasil. Essa restrição se refere a residências que contam com pelo menos um desses pontos: crianças e adolescentes de 6 a 14 anos de idade que não frequentavam escola; pessoas de 15 anos ou mais de idade analfabetas; e pessoas de 16 anos ou mais de idade que não possuíam Ensino Fundamental completo.

O estudo constatou ainda que 26,9% da população mora em domicílios sem acesso à internet e 3,1% em locais em que há restrições à proteção social, categoria que corresponde a duas condições: onde não havia nenhum morador de 14 anos ou mais de idade que contribuía para instituto de previdência em qualquer trabalho ou era aposentado ou pensionista; e domicílios com rendimento domiciliar per capita inferior a meio salário mínimo, com nenhum membro recebendo rendimentos de outras fontes, o que inclui programas sociais.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.