Vida Urbana

Igrejas mudam horários de cultos e missas

Apesar de estar mais evidente nos dias atuais, outras paróquias da cidade já mudaram há alguns anos os horários das missas justamente para impedir o alastramento das ondas de assalto.



Rizemberg Felipe
Rizemberg Felipe

No bairro da Torre, a insegurança fez com que uma paróquia mudasse os horários das missas. Foi o caso do Santuário São Judas Tadeu. Lá, as celebrações que aconteciam durante a semana antes eram realizadas à noite, mas agora são todas às 17h. Essa mudança ocorreu há alguns anos, porém, há cerca de um mês, conforme fiéis que frequentam o local, uma onda de arrombamentos e assaltos assolou as redondezas do templo religioso, o que fez com que o pároco alterasse novamente os horários das missas, dessa vez as dos fins de semana. Nos sábados, as missas que eram realizadas às 19h agora têm início às 17h. No domingo, as celebrações também começavam às 19h, mas agora, com a mudança, estão tendo início às 18h.

Um desses casos de violência que estavam se tornando recorrentes em frente ao Santuário foi presenciado pelo analista de sistemas Laerte Xavier. Ele frequenta o Santuário e lá é líder ativo de um dos grupos de jovem. Conforme ele relatou à reportagem, um dia, quando ia à missa com sua família, se deparou com uma mulher correndo, ofegante, relatando que acabara de ser assaltada. “Nós estacionamos o carro e um carro que estava ao nosso lado saiu, foi quando veio uma mulher dizendo que o carro era dela. Ou seja, nós vimos o bandido levando o carro”, relembrou.

Para Laerte, ver o avanço da violência e o que ele chamou de ‘inoperância do poder público’ é revoltante. “Eu acho um absurdo a igreja precisar mudar os horários das missas por conta da insegurança da cidade. A população não deveria ser refém da insegurança. Nós não deveríamos nos adaptar à inoperância do poder público em garantir a segurança para quem precisa”, apontou.

Apesar de revoltante para alguns, há quem acredite que as mudanças foram positivas. “Eu gosto de vir à missa mais cedo. A violência está muito grande e, por isso, eu acho bom porque agora fica menos esquisito para irmos para casa, porque a missa acaba mais cedo”, comentou a dona de casa Maria da Silva, que também é frequentadora do Santuário São Judas Tadeu.

Apesar de estar mais evidente nos dias atuais, outras paróquias da cidade já mudaram há alguns anos os horários das missas justamente para impedir o alastramento das ondas de assalto, como é o caso das igrejas localizadas no Centro da cidade, conforme informado pela assessoria de imprensa da Arquidiocese da Paraíba.

A Primeira Igreja Batista também foi um dos templos religiosos da capital que teve seus horários de cultos modificados por conta da insegurança. Lá, os cultos que começavam às 20h no domingo tiveram seu horário adiantado para as 18h.

 

 


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.