Vida Urbana

Hipermercado é fechado em João Pessoa por infestação de baratas

MP-Procon, Vigilância Sanitária e Polícia interditaram o local na manhã desta terça-feira após denúncia.



Reprodução TV Cabo Branco
Reprodução TV Cabo Branco
Extra foi interditado pelo MP-Procon após denúncia de um consumidor

Uma infestação de baratas fez com que o hipermercado Extra, localizado na avenida Epitácio Pessoa, no Bairro dos Estados, fosse totalmente interditado na manhã desta terça-feira (5). Uma ação da Procuradoria de Justiça do Consumidor (MP-Procon), juntamente com Vigilância Sanitária Ambiental de João Pessoa e Polícia Civil foi a responsável pela interdição .

O supermercado foi fechado com base da Resolução 216/2004 da Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária – que trata do regulamento técnico dos serviços de alimentação – e da Lei Municipal 10.430/2005 – regula o processo administrativo sanitário, as infrações e as penalidades no âmbito da vigilância sanitária municipal.

Segundo informações dos inspetores da Gerência de Vigilâcia Sanitária (GVS), o aparecimento de baratas nesses locais em pleno dia indica que existe uma grande proliferação do inseto no local.

Denúncia veio através de clientes

Segundo o promotor do MP-Procon, Glauberto Bezerra, a fiscalização foi motivada por uma denúncia de um consumidor de que havia baratas circulando pelas prateleiras do local. "Nós temos um programa de prevenção de acidentes de consumo, que busca garantir a segurança, a economia e a saúde dos consumidores", destacou. Segundo ele, foi montada uma equipe, que foi até o local e constatou a irregularidade", informou o promotor.

Ainda segundo Glauberto Bezerra, o grau de risco oferecido ao consumidor fez com que o órgão achasse necessária a interdição do estabelecimento até que a irregularidade seja sanada. "O delegado responsável fez a notificação ao hipermercado e vai aguardar o laudo da perícia para que um inquérito seja instaurado para investigar o grau de risco ao qual os consumidores foram submetidos", informou.

Os inspetores informaram ainda que o estabelecimento deverá realizar um higienização rigorosa de todas as áreas e também o controle de pragas urbanas, através de empresa habilitada para isso. Somente após essas medidas, o supermercado poderá solicitar uma nova inspeção para desinterdição do local.

A equipe do MP-Procon também constatou que o estabelecimento estava com o certificado do Corpo de Bombeiros vencido, mas foi apresentado, por parte da empresa, um comprovante de requerimento de renovação do certificado feito junto ao Corpo de Bombeiros.

O que diz o Extra sobre a interdição do MP-Procon

Em nota, a assessoria de comunicação do Extra informou que "a rede pauta suas ações no respeito ao cliente e possui rigorosos procedimentos para garantir a qualidade de seus produtos, bem como preza pelo cuidado de suas instalações.  A empresa reforça que realiza os procedimentos referentes ao controle integrado de pragas periodicamente e que a empresa especializada já foi acionada com prioridade para uma nova vistoria e providências".

 


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.