Vida Urbana

Exposição comemora 63 anos da Diocese de Campina Grande

Peças contam a história dos 63 anos da Diocese de Campina Grande; exposição segue até a sexta-feira (25).  




Até a próxima sexta-feira estarão expostos no Seminário o Alto Branco peças que contam a história dos 63 anos da Diocese de Campina Grande completados no último dia 14. São livros, documentos, objetos pessoais dos seis bispos que já administraram a cidade, placas, medalhas, além de instrumentos religiosos específicos dos líderes das sete zonais da paróquia, como báculo (cajado símbolo do pastor), cátedra (cadeira da sede do governo), bula (documento de criação da Diocese) e o altar original onde os padres celebravam as missas de costas para os fiéis.

Aberto desde a última sexta-feira, mais de 150 pessoas já visitaram o local que possui um quadro individual contando a passagem de cada bispo pela cidade.

O primeiro deles, dom Anselmo Pietrulla esteve à frente da Diocese entre os anos de 1949-1955, sendo sucedido por dom Otávio Barbosa Aguiar (1956-1962), dom Manuel Pereira (1962-1981), dom Luiz Gonzaga Fernandes (1981-2001), dom Matias Patrício (2001-2003) e dom Jaime Vieira Rocha (2005-2011).

Para Jucélio Lindebergue, seminarista e coordenador de comunicação do seminário, essa exposição é uma oportunidade para toda a comunidade conhecer um pouco mais da história da Igreja em Campina Grande, assim como buscar mais aproximação com as lições sagradas.

“Tudo isso representa a história da Igreja e o perfil pastoral de cada bispo. Também é possível compreender a mudança que houve ao longo dos anos como os paramentos (roupa usada pelos bispos) que eram usados no início e os de agora”, explicou o seminarista.
 


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.