Vida Urbana

Escola onde segurança foi morto durante assalto anuncia fechamento

Em nota, instituição afirmou que vai fechar as portas ‘por falta de segurança pública’.




A escola particular na qual trabalhava o segurança assassinado durante uma tentativa de assalto vai fechar as portas, de acordo com nota divulgada na segunda-feira (16). O crime aconteceu na frente da escola, localizada no Bairro dos Estados, em João Pessoa, no dia 1º de setembro.

Na nota, a instituição, que funciona há mais de 20 anos, afirma que a decisão de encerrar as atividades tem relação direta com o assassinato do funcionário. "Tivemos um acontecimento que nos fez repensar o nosso caminhar e, devido à falta de segurança pública, aliado a outros fatores, decidimos não renovar as matrículas para o ano de 2018".

A escola informou, ainda, que o ano letivo de 2017 será encerrado normalmente, com a conclusão das atividades no dia 20 de dezembro.

O segurança Fábio Alves de Lima, de 38 anos, foi morto ao tentar impedir um assalto a uma mãe e uma aluna no momento em que elas chegavam à escola. O segurança viu o momento em que dois homens abordaram a mulher em uma moto preta e reagiu para evitar o roubo.

Fábio chegou a entrar em luta corporal com um dos assaltantes, mas foi baleado na cabeça pelo outro. Ele foi encaminhado para o Hospital de Trauma de João Pessoa, mas não resistiu aos ferimentos.

O suspeito de atirar em Fábio, Rafael Artur, de 28 anos, foi preso pela Polícia Militar um dia após o crime. Ele já possuía passagem pela polícia por tráfico de drogas. 


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.