Vida Urbana

Escola Luiz Augusto Crispim é inaugurada nesta sexta-feira

Prefeitura de João Pessoa inaugura nesta sexta-feira (22) a Escola Municipal Luiz Augusto Crispim, no bairro dos Ipês, em solenidade marcada para às 10h.




Da Secom-JP

A Capital vai ganhar mais uma escola. A Prefeitura de João Pessoa (PMJP) inaugura na próxima sexta-feira (22), a Escola Municipal Luiz Augusto Crispim, no bairro dos Ipês, em solenidade marcada para às 10h. É a oitava escola-padrão construída pela Secretaria Municipal de Educação (Sedec), que teve um investimento de R$ 1.923,501,51.

O equipamento é resultado da política municipal que visa a melhoria da estrutura da educação em João Pessoa. A unidade dispõe de 10 salas de aula, auditório, sala de informática, laboratório de ciências, biblioteca, refeitório, coordenação pedagógica, cozinha, banheiros, secretaria, arquivo, pátio coberto, sala de professores e diretoria. Também foi inserida no complexo a construção de quadra poliesportiva com 620 metros quadrados, que vai ser inaugurada no final de junho.

Mais de 1.200 estudantes residentes no bairro dos Ipês serão beneficiados por esta unidade de ensino. A escola, localizada na rua Manoel Teotônio dos Santos, também é uma forma do Governo Municipal homenagear o jornalista, advogado e escritor Luiz Augusto Crispim, que morreu no ano passado, vítima de câncer.

O homenageado

Luiz Augusto da Franca Crispim nasceu em João Pessoa no dia 23 de agosto de 1945. Estudou no Grupo Escolar “Epitácio Pessoa” e no Liceu Paraibano, formando-se em Ciências Jurídicas pela Universidade Federal da Paraíba, tendo também graduação em Língua e Literatura Francesa. Na comunicação, Luís Augusto Crispim iniciou sua atividade como redator e editorialista do jornal Correio da Paraíba, foi Diretor do Departamento Central de Divulgação e Turismo da Paraíba; Diretor Geral do jornal A União; redator-chefe do jornal O Norte; Assessor Especial da Secretaria de Divulgação e Turismo; correspondente e redator da Revista Visão; correspondente de O Globo e da Folha de São Paulo, na Paraíba.

Foi bastante premiado com suas matérias cheias de emoção e realismo. Recebeu Prêmio Esso de Jornalismo Regional pelo trabalho de incentivo para uma Economia de Cordel; obteve Menção Honrosa do Concurso de Monografias da Universidade Federal da Paraíba sobre a obra de Euclides da Cunha, 168 e Menção Honrosa da Fundação Cultural “Manuel Bandeira”, de Campina Grande, por serviços prestados à cultura paraibana.

Luiz Augusto Crispim foi presidente por dois mandatos consecutivos da Academia Paraibana de Letras; sócio da Associação Paraibana de Imprensa, do Sindicato dos Jornalistas Profissionais a Paraíba e da Associação Cultural Franco-Brasileira.

Escritor, jornalista, poeta, cronista, Luís Augusto Crispim manteve uma coluna diária no jornal Correio da Paraíba e tem vários livros publicados. São eles: Por uma Estética do Real, O Arco e a Fonte, Os anéis da Serpente, A Expiação de Orfeu, Poemas da Estação, Os Pecados da Tarde, As Artes da Paixão, A Dama da Tarde, Os Delitos da Glória (Coleção Literatura Viva) e Estudos Preliminares de Direito (Introdução ao Estudo do Direito).