Vida Urbana

Crianças intoxicadas por veneno recebem alta hospitalar em CG

Mãe diz que pai estava bêbado quando colocou veneno na cabeça das crianças.




As três crianças vítimas de intoxicação no município de Livramento, na região do Cariri, após o próprio pai colocar um pano com veneno de lavoura ma cabeça deles receberam alta hospitalar no final da manhã desta segunda-feira (23). As crianças de 3, 6 e 7 anos estavam internadas no Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande na noite do domingo (22).
 
Segundo a mãe das crianças, Aline Almeida Lopes, o pai delas estava alcoolizado no momento que fez tudo. “Rapidamente coloquei as crianças para tomar banho, pedi para elas fecharem os olhos e coloquei sabão para retirar o veneno. Logo depois, elas [as crianças] começaram a passar mal. As crianças não queriam que o pai colocasse o veneno, mas ele, bêbado, pego e colocou. Também pedi pra ele para não fazer isso, no entanto, ele disse que o veneno não prejudicaria as crianças”, relatou. 
 
Após a aplicação do veneno, as crianças foram atendidas pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) e encaminhadas para o Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande, onde chegaram com um quadro de intoxicação leve. 
 
De acordo com a pediatra Noadja Andrade, o veneno utilizado pelo pai das crianças poderia ter causado danos graves. “Esse  herbicida utilizado, dependendo de sua quantidade e a via que foi ingerido, pode provocar quadro de coma ou até morte. No caso das três crianças, a absorvição aconteceu na via dermatológica, ou seja, o efeito nesse caso é menor, em média de 6% [do produto é absorvido], mas desse percentual, 90% provoca sintomas neurológicos e respiratórios”, explicou. 
 
O caso foi registrado no Conselho Tutelar de Livramento e vai ser investigado. Até as 15h desta segunda-feira não havia informações sobre a identidade do pai. De acordo com a presidente do Conselho Tutelar do município, Vanuza Pereira, até este horário a ocorrência não tinha sido formalizada porque no município não há delegacia.
 
“O plantão policial aqui na cidade acontece apenas duas vezes por semana, nas terças e quartas, por essa razão o caso ainda não foi registrado oficialmente, mas o conselho tutelar já teve conhecimento e vai acionar o Ministério Público para também apurar o que ocorreu. Como as crianças estavam internadas, nenhum procedimento para ouvir os pais foi realizado ainda”, disse. 


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.