Vida Urbana

Chuva e rojões marcam procissão de São Pedro em Cabedelo

Durante a caminhada crianças e idosos expressavam sua fé agradeciam às graças alcançadas.




Tarde chuvosa marca barqueata e procissão no Dia de São Pedro, na Praia de Jacaré, na Grande João Pessoa. Mais de 30 pescadores levaram a imagem do santo em um barco, saindo da vila dos pescadores no Jacaré com destino ao polo pesqueiro da cidade de Cabedelo.Ao chegar no local, a imagem seguiu em procissão para a Igreja de Nossa Senhora de Fátima, localizada na colônia dos pescadores. Ao término da peregrinação, a imagem retornou para o Jacaré, onde o grupo pôde celebrar a data com atrações musicais.

De acordo com o presidente da Colônia de Pesquisadores de Cabedelo, Lídio José da Silva,56 anos, a procissão existe há mais de 60 anos. A celebração tem como objetivo reunir os pescadores da região, familiares e toda a comunidade, para celebrar e homenagear o santo que é o padroeiro dos pescadores. “Fazemos uma barqueata até o terminal pesqueiro.Esse ano não tem missa na colônia, onde é celebrada todos os anos, por falta de condições. Mas o que importa é a fé, a união e a devoção” pontuou.

De baixo de chuva e rojões os pescadores se reuniram até anoitecer. Durante a caminhada crianças e idosos expressavam sua fé agradeciam às graças alcançadas. “Estou agradecendo o dom da voz.Pedi para que pudesse cantar.O dom do canto”, revelou a aposentada Adélia Souza, 50 anos. O mesmo fez a dona de casa Maria José Santana que foi participar da procissão acompanhada da neta Maria Julia de 3 meses e a nora.

O pescador Gilson Gomes, 43 anos, relata que há quatro anos participa da celebração e faz questão de trazer a família para exercitar a fé. "Ele foi apóstolo de Cristo.Temos muita fé e acreditamos no poder dos milagres do nosso padroeiro", mencionou.
Milagres e Fé

“Em uma pescaria, com mais de 10 lances, estávamos dentro da água, sem conseguir pegar nada, em uma chuva torrencial. No momento que já íamos retornar para casa, sem nenhum peixe nem para alimentar nossos filhos, foi quando não desistimos e arrematamos mais de 100 quilos (Kg) de peixe, em um lance só depois de tentar várias vezes. Foi pela graça de Deus e São Pedro que é nosso protetor, que nos ajudou e chegamos em casa e todos os nossos filhos ficaram felizes com nossa pescaria e alimento”, Esse foi o relato do pescador Isaque da Silva,que clamou a São Pedro, que concedeu a graça.

São Pedro mudou a vida do pescador Lídio José, segundo ele, foi um verdadeiro milagre.Seu sonho sempre foi ter uma formação, mas ele nunca imaginou que pudesse cursar uma faculdade. “ O milagre vai na fé de cada um de nós, seja pescador ou não. Eu pedi que eu conseguisse fazer uma faculdade.Ter uma formação.Hoje, sou um tecnólogo formado em Pesca e para mim foi um milagre”, comentou emocionado.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.