Vida Urbana

Casa da Pólvora será restaurada

Construída pelos portugueses em 1710 e tombada pelo patrimônio histórico em 1938, a Casa da Pólvora  passará por restauração.



Rizemberg Felipe
Rizemberg Felipe

A Casa da Pólvora, localizada no Centro Histórico de João Pessoa, será restaurada pela Prefeitura de João Pessoa e Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). O projeto, orçado em R$ 1 milhão, está concluído e deverá entrar em fase de licitação dentro de uma semana. O prédio possui 301 anos de existência. Atualmente, está abandonado e sendo usado para prática de crimes, segundo denúncia de moradores da área.

As informações são do coordenador de Patrimônio Cultural da Prefeitura de João Pessoa, Fernando de Moura. De acordo com ele, além de restaurar, a ideia é construir áreas de lazer na Casa da Pólvora. O local deverá ganhar anfiteatro e até estrutura de bar e restaurante. “Ainda não sabemos ao certo quanto será o orçamento total, porque fizemos mudanças no projeto, mas estimamos gastar em torno de R$ 1 milhão. O dinheiro será usado no prédio e nas áreas em volta, que compreendem o sítio arqueológico da Casa da Polvora”, afirmou.

Fernando Moura acrescentou que o objetivo das intervenções é melhorar as instalações do mirante, da fonte dos milagres e da Casa da Pólvora em si, que sofre com rachaduras e inflitrações. O pátio do local ainda receberá estrutura para acomodar os visitantes.

“Queremos construir um espaço onde as pessoas poderão ter momentos de lazer e diversão, escutando uma boa música e contemplando aquela vista da cidade que existe lá. Vamos dar traços modernos, mas conservando as características históricas do local”, salientou.

Os trabalhos serão executados com recursos federais e municipais e em parceira com técnicos do Iphan. De acordo com o chefe da Divisão Técnica do Iphan, Kleber Moreira, a Casa da Pólvora é tombada pelo Patrimônio Histórico Nacional desde 1938. Ela foi construída pelos portugueses em 1710, para guardar armamentos e ajudar na proteção da cidade. Por estar localizada no alto de uma colina, permite uma visão panorâmica do Rio Paraíba e poderia denunciar a chegada de qualquer inimigo que tentasse chegar à cidade pelas águas.

Para Moreira, as intervenções irão garantir não apenas a existência de um prédio que conta um período importante do passado da Paraíba, como também darão oportunidade aos pessoenses e turistas de descansarem em ambiente de lazer.

“Esse local (Casa da Pólvora) é um referencial da época da colonização e tomará uma dimensão ainda mais ampla após esse processo (restauração) porque será reurbanizado e se tornará em mais uma área de lazer na cidade”, afirma Moreira.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.