Vida Urbana

Bitcoin: empresário aconselha como investir da maneira correta na moeda digital

Apresentada em 2008, bitcoin possui mais de uma função no meio digital.




O século XXI é marcado por grandes mudanças envolvendo tecnologia, principalmente no que tange o dia a dia das pessoas. Apresentada em 2008, o Bitcoin é uma moeda digital que tomou o mundo com suas variadas funções. O socio adviser (termo que pode ser entendido como “corretor”) de bitcoin, Marcos Henrique, estará presente para explicar como investir de maneira segura em uma palestra da Roadsec, evento focado na cultura hack. O evento acontece neste sábado (24), no Centro Cultural Ariano Suassuna, em Jaguaribe.

O especialista explica que é errado chamar de moeda virtual. “Não gostamos do termo ‘moeda virtual’. Virtual traz sentido negativo, como se não existisse, mas ela existe no mundo digital”, disse, diferenciando os termos. Segundo o especialista, é uma coringa digital que pode servir como moeda digital, pode representar valor, ações ou votos em eleições.

A utilização mais prática do bitcoin é como forma de investimento de risco. “É um tipo de investimento de risco e agressivo”, informa Marcos Henrique. Segundo ele, o público que investe em bitcoin não é tradicional já que é possível ter muito lucro, mas também muito prejuízo. A empresa de Marcos, além de corretagem, faz aconselhamento financeiro para que qualquer pessoa saiba como lidar com este tipo de investimento.

“Aconselho sempre as pessoas nunca utilizarem dinheiro que seja vital para o dia a dia”, indicou. Ecompletou, “é melhor que você utilize um dinheiro extra”. Outra atividade da empresa é intermediar compradores e vendedores de bitcoins. Dessa forma, ele traz garantias de que o comprador vai receber seus bitcoins e o vendedor vai receber o equivalente em real. No Brasil, existem apenas sete empresas que trabalham da mesma maneira.

Algo que confunde muito os investidores é quanto a cotação, já que, por se tratar de uma moeda de livre mercado, não é como as conversões tradicionais que existe uma cotação fixa. Em outras palavras, valor em bitcoin não tem a mesma relação no mercado com o dólar, o real e o euro, por exemplo. “Apesar disso, o bitcoin é uma moeda que não conhece fronteiras. Ele é o mesmo no Brasil, nos Estados Unidos, em Portugal. Ele não se enquadra nas leis tradicionais”.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.