Vida Urbana

Bancos de Leite da Paraíba registram baixa em doações; saiba como ajudar

Saúde de João Pessoa e Campina Grande alertam para prejuízos ocasionados pela falta de doadoras




Nesse início de 2020, o estoque do Banco de Leite Zilda Arns, do Instituto Cândida Vargas (ICV), deve registrar uma baixa na quantidade de doações, segundo a Secretaria de Saúde de João Pessoa. Em Campina Grande, o Instituto de Saúde Elpídio de Almeida (Isea) registrou uma queda de 35% no período de festas de fim de ano, e devido a isso, vários bebês prematuros hospitalizados nos locais podem ser prejudicados.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde de João Pessoa, do fim de 2019 ao início de 2020 o estoque do Banco de Leite Zilda Arns, do Instituto Cândida Vargas (ICV), deve registrar uma baixa na quantidade de doações de leite. Em Campina Grande, o Instituto de Saúde Elpídio de Almeida (Isea) registrou uma queda de 35% no período de festas de fim de ano, e devido a isso, vários bebês prematuros hospitalizados nos locais podem ser prejudicados. 

Em 2019 o banco de leite de João Pessoa registrou a doação de 600 litros de leite, e cerca de 1.200 bebês foram beneficiados tanto com leite humano quanto com leite pasteurizado. Em Campina Grande, cerca de 70 mulheres realizaram doações de leite no Isea em dezembro de 2019, um número baixo, mas comum neste período.

Bebês prematuros internos no ICV na UCIN, UTI Neonatal e Método Canguru recebem os leites doados aos bancos instalados nas maternidades. Essas crianças muitas vezes estão impossibilitadas de sugar o leite diretamente do seio da mãe.

Luciene do Nascimento, assistente social do Banco de Leite do Isea, explicou que não só a quantidade de doadoras diminui, mas o volume de leite também baixa. 

“Muitas doadoras que doam 400 ml por semana, reduzem o volume de leite no período. Não há uma queda só no número de doadoras, há uma queda no volume de leite coletado. Essa queda se estende até o carnaval, por conta do período de festejos e festas escolares normalmente faz a mulher se estressar, e a demanda de leite também diminui um pouco. Todo leite é muito bem vindo, porque é a soma dele que faz o diferencial para ser distribuído para os bebês internados em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) de Campina Grande.”, comentou Luciene.

Como doar

Podem doar leite mulheres que não tenham doenças infectocontagiosas, como AIDS, Sífilis e Hepatites, nem façam uso de medicamentos continuamente. Tanto o Banco de Leite Zilda Arns quanto o Banco de Leite do Isea possibilitam a doação em domicílio, e para isso, as mulheres precisam realizar cadastros pessoalmente, das 8h às 17h, de segunda a sexta-feira. Outras informações podem ser obtidas através dos telefones (83) 3214-1390, para João Pessoa, e (83) 3310-6185, para Campina Grande.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.