Vida Urbana

Arte de João Pessoa sofre com vandalismo

Pichações, depredações, cartazes e sujeira danificam obras importantes instaladas em vias e praças públicas de João Pessoa.



Kleide Teixeira
Kleide Teixeira
Caixa D'Água ficou sem sua maleta no busto dedicado ao poeta na Guedes Pereira

João Pessoa é conhecida nacional e internacionalmente pela beleza de suas praias. Mas além do azul do mar e do branco da areia, os moradores da capital paraibana também têm obras de arte espalhadas pela cidade para se orgulhar.

Os painéis do artista plástico paraibano Chico Ferreira, no viaduto da rua Miguel Couto, e a estátua do poeta Caixa D’Água e do presidente Epitácio Pessoa, ambas localizadas no centro da cidade, são um exemplo de obras de arte localizadas em locais públicos para apreciação.

No entanto, turistas e paraibanos se deparam com a degradação ao visitar esses espaços. Ao passar por essas e outras obras de arte a céu aberto, o transeunte vê pichações, sujeira, cartazes colados em locais indevidos e até mesmo parte da obra arrancada.

Quem passa pelo viaduto da rua Miguel Couto pode não notar os painéis feitos pelo artista plástico Chico Ferreira. Os oito murais foram pintados pelo paraibano em cima da cerâmica que reveste o viaduto entre os anos de 1999 e 2000. As pinturas, que embelezam o lugar, sofrem com as pichações.

Em algumas pichações, é difícil entender o que o "autor" queria dizer, mas em pelo menos um caso, uma declaração de amor foi gravada em um dos painéis do viaduto. Quem passa pelo local, pode ler a inscrição “Amanda eu te amo” deixada pelo pichador anônimo.

Já a estátua do poeta Caixa D’Água, que fica na avenida Guedes Pereira, Centro, está sem sua mala há pelo menos um ano. A mala era uma característica do artista pessoense e fazia parte da obra de arte. No entanto, ela foi arrancada por vândalos e ainda não foi achada pelo poder público.

Além da falta de objetos da estátua, foram colados cartazes na base de granito que ampara a obra, e até um "santinho" de político está colado na lapela do paletó.

O que mais chama atenção nos casos de agressão à escultura é que ela está localizada atrás do comando-geral da Polícia Militar do Estado.

A estátua de Epitácio Pessoa, que fica em frente da Praça da Independência, no início da avenida batizada com o nome do ex-presidente paraibano, também é um exemplo da falta de conservação para com as obras de arte expostas ao público. A base de granito do busto está pichada e a área em volta do local está suja.

De acordo com o coordenador da Comissão de Patrimônio Artístico e Cultural (Copac) de João Pessoa, Fernando Milanês Neto, a prefeitura vai tomar uma atitude em relação às obras artísticas da cidade. Ele afirmou, ainda, que um levantamento do estado destas obras será feito durante as próximas semanas.

“Vamos ver o que precisa ser consertado", comentou. "Após o acerto das obras, vamos fazer uma campanha educativa para que as pessoas não destruam mais o nosso patrimônio. Além do mais, depredação de locais públicos é crime”, contou o coordenador da Copac.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.