Política

Wilson Santiago diz que vai processar a revista IstoÉ

Ele nega as denúncias de que tenha sonegado R$ 34 milhões de impostos



Karoline Zilah/Paraíba1
Karoline Zilah/Paraíba1

Lenilson Guedes

O senador Wilson Santiago (PMDB) disse nesta segunda-feira (12) que vai tomar providências jurídicas contra a Revista IstoÉ, que em reportagem publicada neste final de semana o acusou de comandar um esquema de sonegação fiscal que teria causado rombo de mais de R$ 34 milhões aos cofres públicos. "Se necessário for entrarei com ação contra a revista e também contra quem manipulou tudo isso", afirmou o senador ao ser ouvido pelo JP Online.

Wilson declarou que as denúncias veiculadas pela revista têm o dedo do ex-governador Cássio Cunha Lima, que trava com ele uma batalha jurídica pela vaga no Senado. Em nota divulgada pela sua assessoria, ele acusou Cássio de estar por trás das denúncias. Em resposta, o ex-governador mandou dizer que ele terá de provar as denúncias que foram feitas. "Ao invés de me acusar Wilson Santiago deveria se explicar", afirmou Cássio em mensagem postada no Twitter.

O senador peemedebista disse que não se preocupa com a pecha de sonegador de imposto. "Não me preocupo porque não sou. Tenho documentos da Justiça Federal e da Receita Federal para provar que não sou nada disso que foi apontado pela revista", afirmou.

Na matéria, a revista afirma que o senador Wilson Santiago seria o verdadeiro dono da empresa Construções Adrina. Segundo a Fazenda Nacional, a Adrina sonegou R$ 34 milhões em Imposto de Renda, Contribuições Sobre Lucro Líquido, PIS e Cofins. Para fugir da fiscalização e do pagamento dos valores, a empresa repassou grande parte do patrimônio para terceiros.

De acordo com a reportagem, a maior parte das transferências foi para a empresa Terradrina, que está em nome do filho do senador, o deputado federal Wilson Filho (PMDB). Diz ainda que a Fazenda Nacional entrou com medida cautelar na Justiça tornando os bens da Adrina indisponíveis.

O senador Wilson Santiago diz que as mesmas denúncias foram levantadas durante as eleições de 2010 pelos seus adversários e nada ficou provado. "A matéria é nitidamente política. A digital do ex-governador Cássio Cunha Lima está presente do começo ao fim da matéria, com citações entusiasmadas", declarou o peemedebista em nota divulgada pela sua assessoria.

Em resposta, Cássio Cunha Lima postou a seguinte mensagem no twitter: "A nota de Wilson Santiago é deselegante. Digitais, ao que parece, ele que deixou".

 


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.