Política

Terminais de petróleo do Porto de Cabedelo vão a leilão

Expectativa da Companhia das Docas é gerar investimentos de R$ 80 milhões.




Pelo menos três terminais de derivados de petróleo no Porto de Cabedelo serão liberados à iniciativa privada. O leilão para a concessão do espaço foi autorizado pelo Conselho do Programa de Parcerias e Investimento (PPI) do Governo Federal e, segundo informações do governo do estado, deve gerar investimento total de R$ 80 milhões, sendo R$ 60 milhões na modernização e expansão dos terminais e R$ 20 milhões na infraestrutura primária do porto paraibano.

A licitação acontece na Bolsa de Valores de São Paulo e, pelas regras, vencem as empresas que derem o maior lance. Após a finalização do processo, os contratos serão assinados entre as empresas vencedoras e a Companhia Docas da Paraíba, que administra o Porto de Cabedelo, e terão prazos de vigência de 25 anos.

Atualmente, os terminais que serão leiloados estão sendo operados com contratos chamados “de transição”, que possuem prazos de 180 dias ou até que sejam realizados novos leilões.

Investimento

A partir dos novos leilões, serão permitidos investimentos na modernização e na expansão dos terminais, investimentos esses estimados em R$ 60 milhões. Além disso, o vencedor do leilão de um dos terminais deverá investir como contrapartida aproximadamente R$ 20 milhões na área primária do Porto de Cabedelo, investimentos esses que serão em: pavimentação, sistema de combate à incêndio, reforma dos armazéns, rede de drenagem, rede elétrica, entre outros.

Ship to Ship

No fim de janeiro deste ano, a Petrobras e a Transpetro realizaram a operação piloto Ship to Ship no Porto de Cabedelo. A manobra, que consiste na transferência de carga de petróleo e seus derivados entre embarcações sem a necessidade de desembarcar o produto em terra firme, deve atrair novas empresas para transportar combustíveis para a Paraíba.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.