Política

Teto de gastos de campanha na Paraíba é o 11º mais alto do país

Cada candidato a governador poderá gastar na campanha até o teto de R$ 5,6 milhões no primeiro turno.




Nas eleições deste ano, cada candidato a governador da Paraíba poderá gastar na campanha até o teto de R$ 5,6 milhões no primeiro turno. Na segunda etapa do pleito, terá um acréscimo de R$ 2,8 milhões, totalizando R$ 8,4 milhões. O valor é o 11º maior entre as unidades da federação. Os limites das despesas de campanha foram fixados pelo Tribunal Superior Eleitoral com base no eleitorado de maio.

O teto de gastos dos postulantes paraibanos se insere entre os estados com mais de dois milhões de eleitores e de até quatro milhões de eleitores. Na mesma faixa, estão Alagoas, Amazonas, Distrito Federal, Espírito Santo, Piauí, Mato Grosso e Rio Grande do Norte.

Já os estados cujo limite de despesas de campanha superam a Paraíba, a partir do primeiro turno, são Bahia (R$ 14 milhões), Ceará (R$ 9,1 mi), Goiás (R$ 9,1 mi), Maranhão (R$ 9,1 mi), Minas Gerais (R$ 14 mi), Pará (R$ 9,1 mi), Pernambuco (R$ 9,1 mi), Paraná (R$ 9,1 mi), Rio de Janeiro (R$ 14 mi), Rio Grande do Sul (R$ 9,1 mi), Santa Catarina (R$ 9,1 mi) e São Paulo (R$ 21 mi).

Senador e deputado

Para um candidato a senador, na Paraíba, o limite de despesa é R$ 3 milhões. Nas campanhas para o cargo de deputado federal na Paraíba, foi fixado o teto de gastos de R$ 2,5 milhões. E, no caso dos candidatos a deputado estadual ou distrital, o valor máximo a ser gasto é de R$ 1 milhão.

Os maiores limites estão previstos para o cargo de presidente da República, sendo de R$ 70 milhões para o primeiro turno das eleições, com acréscimo de R$ 35 milhões na hipótese de realização de segundo turno.

Gastos em 2014

Nas eleições de 2014, o governador Ricardo Coutinho (PSB) declarou à Justiça Eleitoral que gastou nos dois turnos da campanha pouco mais de R$ 14,1 milhões. Por sua vez, as despesas da campanha do segundo colocado, Cássio Cunha Lima (PSDB), chegaram a mais de R$ 16,7 milhões, totalizando R$ 30,8 milhões.

Em relação aos candidatos que não foram para o segundo turno, em 2014, Vital do Rêgo Filho (PMDB) gastou R$ 9,6 milhões, enquanto as despesas de campanha declaradas ao Tribunal Regional Eleitoral pouco mais de R$ 38 mil e Tárcio Teixeira (PSOL), R$ 17.899,31. A campanha mais barata foi a de Antonio Radical (PSTU): R$ 3.249,40

Ricardo Coutinho (PSB) – R$ 14.124.831,15
Cássio Cunha Lima (PSDB) – R$ 16.701.690,50
Antonio Radical (PSTU) – R$ 3.249,40
Major Fábio Rodrigues (PROS) – R$ 38.148,40
Tárcio Teixeira (PSOL) – R$ 17.899,31
Vital do Rêgo Filho (PMDB) – R$ 9.679.469,42


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.