Política

Servidores protestam na Câmara e Romero garante reajuste sobre vencimento bruto

Apesar de emenda aprovada, prefeito assegura que aumento de 2% é integral quem ganha acima do salário mínimo.




Após assembleia com indicativo de greve em frente à Câmara de Vereadores, servidores da PMCG ocuparam galerias do Poder Legislativo

A aprovação de uma emenda à lei que concede o reajuste de 2% aos servidores públicos municipais, que recebem acima do salário mínimo, provocou um protesto e uma assembleia da categoria, nesta quarta-feira (25), na Câmara de Vereadores de Campina Grande. Os funcionários da prefeitura decidiram manter o indicativo de greve por tempo indeterminado a partir da próxima terça-feira ( 31). De Brasília, onde cumpre agenda administrativa, o prefeito Romero Rodrigues disse, por telefone, que o reajuste foi sobre o valor bruto e acusou o protesto de ter objetivo político e eleitoral.

A direção do Sindicato dos Trabalhadores do Agreste da Borborema (Sintab) revelou que o projeto original foi aprovado no dia 29 de maio pela Câmara e já virou lei. No dia 26 de junho, a bancada do governo na Câmara aprovou uma emenda, determinando que o aumento não incide sobre as verbas indenizatórias. Desde então os servidores têm protestado contra o reajuste e contra a emenda e, além da luta política, o Sintab ingressará com ação judicial para barrar o projeto.

Todavia, a emenda ainda não foi analisada pelo Poder Executivo. No entanto, o vice-presidente do Sindicato dos Trabalhadores Públicos Municipais do Agreste e da Borborema (Sintab), Giovanni Freire, disse nesta quarta que não houve nenhuma resposta sobre a promessa de negociação com o prefeito Romero Rodrigues para o veto à emenda aprovada pela bancada governista, que determinou que o reajuste de 2% aprovado por ele em maio não incide sobre nenhuma verba indenizatória, tais como quinquênio, terço de férias e insalubridade.

“Alguns vereadores da bancada do governo se comprometeram em intervir junto ao prefeito Romero, mas não apareceu nenhum para dar satisfação aos servidores e por mais um dia o serviço público está paralisado e amanhã mais uma vez os servidores estarão aqui”, reforçou.

Após a assembleia houve protesto no portão da garagem da CMCG. “Isto é reflexo da insatisfação dos servidores com o impasse que persiste e caso o prefeito não vete a emenda, o início da greve está confirmado para o próximo dia 31”, frisou o vice-presidente. Os servidores vão se reunir novamente nesta quinta-feira ( 26), em mais uma assembleia, na CMCG, a partir das 9h.

Reajuste sobre o bruto

Por telefone de Brasília, o prefeito Romero Rodrigues disse que está mantido o reajuste de 2% sobre o valor bruto dos vencimentos dos servidores que ganham acima do salário mínimo. Ele reafirmou que o percentual representa o esforço da sua gestão de manter a cada ano um processo positivo de tratamento da questão salarial dos servidores dentro das possibilidades da administração pública apesar da crise econômica.

Ele ainda acusou dirigentes do Sintab de fazer politicagem por conta das eleições. “O reajuste não mudou em nada, pois incide sobre o vencimento bruto. É só comparar o contracheque dos servidores do ano passado com o de junho. Já os servidores da Educação tiveram o reajuste de 6,8% retroativo a janeiro deste ano. Fazer protesto agora no ano eleitoral é politicagem”, frisou Romero.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.