Política

Romero Rodrigues cobra entrega da estação de tratamento de esgoto

Na estação seriam construídas seis lagoas, sendo quatro lagoas facultativas, sendo que cada uma tem três caixaspara tratar esgoto bruto e duas lagoas de polimento.




Da assessoria do parlamentar

Tramita na Assembleia Legislativa do Estado da Paraíba, requerimento de autoria do deputado Romero Rodrigues (PSDB) endereçado à Secretaria de Estado de Infra-Estrutura da Paraíba cobrando a entrega da Estação de Tratamento de Esgoto de Campina Grande à população campinense.

Conforme o deputado, com a finalização das obras haverá um salto quantitativo na qualidade de vida da população campinense. “E a obra não pode ficar parada simplesmente esperando a boa vontade do Governo de plantão e nem o dinheiro que foi aplicado desperdiçado, só porque o empreendimento foi construído no Governo Cássio Cunha Lima”, denunciou.

De acordo com Romero o ex-governador Cássio construiu a Estação de Tratamento de Esgotos, no bairro da Catingueira, quando foram investidos R$ 11.586.434,66, mas o Governo do Estado está retardando a sua entrega, simplesmente para se aproveitar do empreendimento e se apossar de sua autoria.

Segundo Romero Rodrigues os recursos são provenientes de parceria do Governo estadual com o Ministério das Cidades, cujos trabalhos são acompanhados pela Companhia de Água e Esgotos da Paraíba. A Construtora EC Engenharia,empresa que foi vencedora da licitação para as obras, é a responsável pela execução dos trabalhos, que previa a conclusão da obra até o final do mês de abril, mas os trabalhos vem sendo retardados inexplicavelmente.

Na Estação seriam construídas seis lagoas, sendo quatro lagoas facultativas, sendo que cada uma tem três caixas, que vão tratar o esgoto bruto e duas lagoas de polimento, que irá melhorar a qualidade da água. A Estação ocupa uma área de 64 hectares que foi desapropriada pelo Governo do Estado. Nove tanques/lagoas foram construídos. Cada tanque tem 240 metros quadrados por 150m² com profundidade média de três metros.

Já o projeto da estação elevatória ligará a estação elevatória à estação de tratamento e cobrirá uma distância de 2,3km. De acordo com dados do setor técnico da Cagepa, quando a captação dos esgotos da cidade foi iniciada, a água que sairá da ETE vai ter 96 por cento de pureza e poderá ser utilizada para a irrigação e para o consumo animal.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.