Política

Ricardo passa por sete cidades para assinar ordem de serviço da TransParaíba

Adutora vai custar R$ 329 milhões e beneficiará 19 municípios que enfrentam problemas de abastecimento.




 

O governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB), faz uma verdadeira ‘maratona’, nesta terça-feira (14), passando por sete cidades do interior do estado para assinar a ordem de serviço de início da construção da TransParaíba-Adutora do Curimataú, considerada pela governo como a “maior obra hídrica do Estado”. Construída com recursos próprios, a

A caravana do governador para assinatura da ordem de serviço começou por volta das 9h30 na cidade de Soledade e terminará às 20h30, em Frei Martinho. Ricardo, secretários e deputados também passam por São Vicente do Seridó, Cubati, Sossego, Baraúna e Picuí.

Na primeira etapa da obra serão investidos cerca de R$ 197 milhões, enquanto na segunda etapa do sistema adutor, o investimento será de R$ 132 milhões. O objetivo é garantir a segurança hídrica para cerca de 150 mil habitantes.

De acordo com o secretário de Infraestrutura, Recursos Hídricos, Meio Ambiente e Ciência e Tecnologia, João Azevêdo, a adutora vai resolver em definitivo o problema de abastecimento de água do Curimataú. “Essa é uma obra extremamente importante para o Curimataú. A adutora vai captar  água do Rio São Francisco, que hoje está chegando no açude de Boqueirão, e vai levar para a região do Curimataú, que não tem nenhuma outra fonte de abastecimento”, declarou.

O sistema Curimataú tem captação no Açude Epitácio Pessoa – Boqueirão, de onde se desenvolve margeando estradas vicinais até a cidade de Boa Vista. Logo o eixo adutor segue em direção até a cidade de Soledade. Desta localidade segue em direção norte do Estado margeando as PB-177, PB-187 e no segmento final pela BR-104, atendendo a população das cidades de Boa Vista, Boqueirão, Soledade, Juazeirinho, São Vicente do Seridó, Olivedos, Cubati, Pedra Lavrada, Nova Palmeira, Sôssego, Baraúna, Picuí, Frei Martinho, Cuité, Nova Floresta, Barra de Santa Rosa, Damião, Cacimba de Dentro e Araruna.

Assembleia esvaziada

Por conta dessa maratona, a Assembleia Legislativa ficou praticamente esvaziada, já que os deputados governistas seguiram o governador. Houve sessão, mas nada foi votado na Casa

Apenas 18 deputados marcaram presença no plenário. Até o presidente, deputado Gervásio Maia (PSB), que havia ameaçado cortar o ponto dos faltosos, não compareceu à Assembleia Legislativa nesta terça-feira.

Só a metade dos deputados compareceu à Assembleia Legislativa nesta terça-feira