Política

"Rei do Nepotismo" exonera comissionados e prestadores de serviço

Jonas de Souza demitiu 89 auxiliares, mas manteve esposa e irmão como secretários municipais.




Prefeito Jonas de Souza alega crise financeira para demitir auxiliares

O prefeito de Montadas, no Agreste da Paraíba, Jonas de Souza, exonerou os detentores de cargos comissionados e ocupantes de função gratificada, bem como os prestadores de serviços, no total de 87. A portaria, no entanto, mantém na prefeitura a Secretária de Finanças, Kátia Ramalho de Souza, e o secretário de Saúde, Erasmo de Souza, respectivamente, esposa e irmão de Jonas. Também foram poupados o secretário de Assistência Social, Romero Martins, e a diretora do Departamento de contratos e licitações Saionara Lucena Silva.

As exonerações representam uma economia de R$ 200 mil por mês. Em nota, o prefeito Jonas de Souza disse que a medida é por conta da questão financeira e devido ao não repasse do governo federal do auxílio extra.

Jonas de Souza adiantou que, em janeiro de 2018, vai começar a contratar as pessoas e a fazer alguns ajustes na gestão pública municipal. Nesta sexta-feira (29), a prefeitura efetuou o pagamento da folha de dezembro do pessoal da ativa, na ordem de R$ 600 mil.

Nepotismo

No início da gestão, o prefeito Jonas de Souza foi duramente criticado pela oposição por ter nomeado 14 parentes para secretarias e escalões inferiores. As contratações tiveram repercussão nacional e o gestor passou a ser chamado de “Rei do Nepotismo” pelos adversários políticos.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.