Política

"Proibido o Carnaval": Bolsonaro alfineta Daniela Mercury e Caetano Veloso

Presidente posta marchinha criticando cantores e diz que “esse tipo de ‘artista’ não mais se locupletará da Lei Rouanet”.




Alvo de críticas dos blocos de carnaval, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) usou as redes sociais, nesta terça-feira (5), para falar com os brasileiros e alfinetar os “desafetos”. No Twitter, as críticas foram “direcionadas” aos cantores Daniela Mercury e Caetano Veloso, especialmente a música Proibido o Carnaval, de autoria dos artistas.

Videoclipe de “Proibido o Carnaval!” é dedicado a Jean Wyllys

A música, lançada há um mês, critica a censura de comportamento e o conservadorismo sexual. Embora não citasse os nomes dos artistas, Bolsonaro postou: “Dois ‘famosos’ acusam o governo Jair Bolsonaro de querer acabar com o Carnaval. A verdade é outra: esse tipo de ‘artista’ não mais se locupletará da Lei Rouanet”.

Ainda nesta terça-feira, o presidente também retuitou um vídeo de uma música que seria uma resposta à canção de Daniela e Caetano, que assinala: “Tem gente ficando doida sem a tal Lei Rouanet. O nosso Carnaval não está proibido, mas, com dinheiro do povo, não será mais permitido. Meu Carnaval eu faço com o meu dinheiro, trabalhei o ano inteiro sem essa lei me ajudar”.

Fomento à cultura

Vale ressaltar que a A Lei Rounet é o principal mecanismo de fomento à cultura no Brasil. A legislação estabelece as normativas de como o governo federal deve disponibilizar recursos para a realização de projetos artístico-culturais.  Normalmente, há renúncia fiscal, por parte do Executivo, do imposto de empresas em prol da cultura.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.