Política

Prefeitos novatos superam crise, pagam em dia e entregam obras

crise econômica obrigou os prefeitos de primeiro mandato a se adaptar rapidamente à realidade de problemas e dificuldades nos 12 meses iniciais de gestão.




Por Josusmar Barbosa
Do Jornal da Paraíba

A crise econômica obrigou os prefeitos de primeiro mandato a se adaptar rapidamente à realidade de problemas e dificuldades nos 12 meses iniciais de gestão. A maioria encontrou a máquina administrativa sucateada, os servidores desmotivados e com salários atrasados, as ruas esburacadas e tomada por lixo, além de uma herança de dívidas.

Em Pombal, no Sertão paraibano, a prefeita Polyana Feitosa (PT) assumiu o governo em 1º de janeiro de 2009 diante de várias débitos, deixados pelo ex-prefeito, Ugo Ugulino (PMDB), que substituiu Jairo Feitosa (PT) – esposo da atual gestora – morto num acidente, em setembro de 2007.

Segundo a petista, o seu antecessor pagou o salário de dezembro de 2008 apenas para os funcionários que ocupavam cargo de comissão e contratados, deixando uma folha de cerca de R$ 400 mil dos demais servidores efetivos para a nova administração.

Além disso, estava suspenso o programa Compra Direta e diversas pendências no Siafi (Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal).

“Sabia que não ia encontrar uma situação boa, mas não imaginava que seria tão grave como encontrei, e ainda enfrentei uma crise financeira, que provocou uma queda de quase R$ 600 mil, nas receitas do município”, lamentou Polyana.

A petista disse que seus adversários “ficaram uma década na prefeitura” e nada fizeram pelo município “e ainda ficam com raiva de mim, que vivo buscando melhorias para nossa terra”.

Ela acrescentou que, “se meu governo encerrasse hoje, eu já estaria feliz com essa obra, porque vai contribuir para reduzir a poluição do nosso rio, além de combater doenças. Por isso, faço um desafio a alguém me mostrar algum gestor de conseguiu de uma única vez um convênio nesse valor”, afirmou a prefeita.
Polyana adiantou que muitas obras e serviços foram feitos no primeiro ano de mandato na Prefeitura de Pombal.

Dentre elas, a reabertura de cozinhas comunitárias; obras de esgotamento sanitário em um dos bairros da cidade; pavimentação em várias ruas; construção de quadra de esportes e de uma praça, além de dezenas de casas e mais de 100 banheiros, nas zonas urbana e rural, através de parceria com o governo federal.
Também houve investimentos em infraestrutura, instalação de dois novos PSFs e a aquisição de novos veículos para a frota do município, dentre outras melhorias.

A prefeita anunciou que deverão ser liberados outros R$ 4 milhões, através da Casa Civil da Presidência da República, para compra de máquinas agrícolas (R$ 2 milhões) e a outra metade para pavimentação de ruas.

Conforme declarou a prefeita, já estão empenhados para serem liberadas em 2010, emendas dos deputados Luiz Couto, no valor de R$ 1,5 milhão, onde R$ 400 mil serão para reforma do açougue; R$ 300 mil para reforma do mercado e os outros R$ 800 mil para construção do matadouro público.

As emendas do deputado federal Wellington Roberto, segundo Polyana, somam R$ 4 milhões – diretos para a prefeitura – que serão destinados para calçamento de vias públicas.

Ele ainda destacou mais de outros R$ 8 milhões que serão destinados, através da Asmep (Associação dos Municípios do Médio Piranhas).


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.