Política

Prazo final para deixar cargos agita candidatos na Paraíba

Secretários e reitora que vão concorrer a prefeito têm até 6 de junho para se afasterem.




Os pré-candidatos a prefeito e a vereador, em sua maioria, vão esperar até o último dia do prazo de desincompatibilização para deixar os cargos. Na lista estão a reitora da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), Marlene Alves (PC do B), que vai concorrer à Prefeitura de Campina Grande, a exemplo da secretária municipal de Saúde, Tatiana Medeiros (PMDB). Por sua vez, o chefe de Gabinete, Dunga Júnior (PTB), pretende disputar a chefia do Executivo de Alcantil. A data-limite deles é 6 de junho, quatro meses antes das eleições.

“Vou ficar na reitoria até o último dia do prazo que a legislação permitir”, adianta Marlene.

Tatiana, que tinha anunciado a antecipação de sua saída para o dia 6 de abril, mudou de ideia. “Como ainda há muito trabalho na secretaria e muitas obras para entregar, só devo deixar a pasta no início de junho”, revela Tatiana.

O secretário estadual de Comunicação, Nonato Bandeira (PPS), é pré-candidato a prefeito de João Pessoa. Embora o prazo de desincompatibilização seja também de quatro meses, ele deve se afastar da pasta no início de abril.

O mesmo poderá ocorrer com o presidente da PBGás, Zenóbio Toscano (PSDB), que vai tentar conquistar a Prefeitura de Guarabira, no pleito de 7 de outubro.

Ainda na lista dos prefeitáveis, está o superintendente de a União, ex-deputado Ramalho Leite, que poderá concorrer à Prefeitura do município de Borborema. A esposa dele, Marta Ramalho, é prefeita da cidade de Bananeiras.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.