Política

PM da Paraíba gasta quase R$ 500 mil em equipamento para inteligência; oposição questiona

Equipamento ultramoderno serve para varreduras e pode encontrar até pequenos chips escondidos.





A Polícia Militar da Paraíba desembolsou um montante de R$ 424,5 mil para adquirir um equipamento ultramoderno que serve para varredura de ambientes e detectar escutas. O detector deve ser usado pelos policiais da inteligência, os chamados ‘P2’. No entanto, a oposição ao governo do estado já está questionando a compra e quais seriam os reais motivos para a aquisição de um equipamento tão caro.

O equipamento foi adquirido pelo governo junto à empresa Berkana Tecnologia em Segurança LTDA através de inexigibilidade de licitação. O contrato foi assinado em três de julho e, dentre outras coisas, estabelece que a empresa deve fazer o treinamento de três policiais.

O equipamento adquirido é ultrassensível e consegue detectar até pequenos chips, como os de celulares, escondidos. Ele deve ser utilizado pela ‘P2’, mas cabe destacar que esses policiais não atuam de forma mais direta em investigações, como no cumprimento de mandados de busca e apreensão, por exemplo, ação que é de responsabilidade da Polícia Civil.

A compra de alto valor já está repercutindo junto ao bloco de oposição ao governo da Paraíba. O deputado Wallber Virgolino (Patriotas), um dos mais ferrenhos opositores na Assembleia Legislativa, disse que vai questionar o comando da PM sobre a aquisição.

“Eu estarei oficiando o comando geral da PM paa saber por qual motivo ele decidiu comprar um equipamento para detectar escutas, ao invés de comprar equipamentos de proteção para os policiais militares”, disse Virgolino. O deputado levantou dúvidas sobre as intenções em torno da compra. “ Oficiarei o Ministério Públicoa para saber se vão deixar o governo montar um quartel de arapongagem, esse não é o primeiro equipamento [adquirido]. O Ministério Público tem por obrigação fiscalizar, indagar . O governo do Estado teme o quê? Estão montando um quartel de arapongagem e tenho certeza que isso vai se usado politicamente, contra adversários”, disse o deputado.

O coordenador de inteligência da PM, tenente-coronel Tibério Pessoa, defendeu a compra e disse que existe uma necessidade em ações de prevenção. “Temos uma polícia judiciária que faz investigação, onde os inquéritos policiais militares necessitam de equipamentos relativos à investigação. Referente aos equipamentos adquiridos, não podemos fazer a exposição por completo, assim não seruia inteligência, seria uma desserviço”, afirmou

Por outro lado, o promotor José Guilherme Soares, do Núcleo de Controle da Atividade Policial do Ministério Público da Paraíba (NCAP-MPPB), disse que já está sabendo da aquisição e vai buscar maiores informações.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.