Eleições 2018

PF investiga conduta de policial que chamou Joaquim Barbosa de 'escravo alforriado'

Postagem diz que ex-ministro do STF ‘faz papel do escravo que, mesmo com carta de alforria’.




A postagem de um policial federal paraibano, em que ele diz que o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa “faz papel de escravo” e que “paga favor ao PT” ao anunciar voto no candidato Fernando Haddad, está sendo alvo de um inquérito da própria Polícia Federal na Paraíba. No comentário, ele diz que “mesmo com carta de alforria, [o ex-ministro] teve medo de deixar a Casa Grande” ao anunciar seu apoio ao então candidato petista à presidência da República.

Em nota divulgada nesta segunda-feira (29), a Polícia Federal diz que sua “Corregedoria Regional já adotou os procedimentos necessários pertinentes ao caso”.

O tweet foi publicado na madrugada de domingo (28) no perfil do policial, que é público. Segundo a assessoria de imprensa da PF, ele está viajando em missão e não é possível dar detalhes de sua localização nesta segunda-feira. O Jornal da Paraíba tentou contato telefônico com o policial, mas as ligações não foram atendidas. Na postagem, que ele diz que Joaquim Barbosa é um negro “erigido ao posto de Ministro do STF”.

Veja o texto na íntegra:

Na minha opinião, o negro Joaquim Barbosa, erigido ao posto de Ministro do STF, apenas paga favor ao PT. Faz papel do escravo que, mesmo com carta de alforria, teve medo de deixar a Casa Grande. Seu voto é só isso: Apenas 1 voto. Nada mais. #OBrasilVota17

A postagem fez referência a um outro tweet do próprio Joaquim Barbosa, que no sábado (27) declarou seu voto ao então candidato pelo PT, Fernando Haddad. O ex-ministro voltou à rede social depois de um hiato de mais de cinco meses sem interagir.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.