Política

Oposição acusa secretário de sonegar informações na sabatina

Bancada oposicionista da AL classifica sessão como insatisfatória e propõe formação de comissão suprapartidária para acompanhar o processo de demissão e admissão do Governo.




Jhonathan Oliveira

A bancada de oposição da Assembleia Legislativa avaliou a sessão especial que discutiu a demissão dos servidores temporários do Estado como insatisfatória. Segundo os representantes do bloco, o secretário de Administração, Gilberto Carneiro, sonegou informações. Os parlamentares também sugeriram que fosse criada uma comissão suprapartidária para acompanhar o processo de demissão e de admissão de temporários. A sessão teve início no final da manhã e se estendeu pela tarde.

O deputado Raniery Paulino (PMDB) disse que o secretário Gilberto Carneiro não trouxe números precisos. "Em nenhum momento ele respondeu à pergunta sobre quantos funcionários deixaram de responder em janeiro", disse. Raniery também sugeriu ao governo que aceitasse que uma comissão suprapartidária acompanhasse o processo de recontratação dos servidores. Ele ressaltou que já apresentou um requerimento na Assembleia oficializando a proposta.

"Nós estamos com esse encaminhamento para que uma comissão formada pelos deputados possam acompanhar em detalhes essa demissão", afirmou o deputado Luciano Cartaxo (PT), um dos autores da convocação para sessão.

Cartaxo também acusou o secretário de mentir sobre os critérios que foram adotados para a exoneração dos servidores. O deputado disse que, ao contrário do que vem sendo afirmado, alguns funcionários com mais de 20 anos de serviço tiveram que deixar os cargos.

Raniery acrescentou que a oposição pode ir à Justiça para reaver os direitos dos que teriam sido demitidos de forma injusta. "Se nós tivessemos os números reais, essa ação seria mais fácil, mas o governo faz questão de esconder esses dados", disse. Ele ainda referendou que vem recebendo diversas denúncias nesse sentido. "A medida que nós formos procurados, iremos acolher esses funcionários", completou.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.