Política

Supremo indica juiz que atuou na Lava Jato para cadeira no CNJ

Conselho é formado por membros indicados pela OAB, Justiça do Trabalho, Câmara, Senado e STF.  




O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu nesta quarta-feira (9) indicar o juiz Márcio Schiefler Fontes, que era auxiliar do ministro Teori Zavascki, que morreu em janeiro, para ocupar uma cadeira no Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Após a morte do ministro, Schiefler passou a assessorar a ministra Cármen Lúcia, presidente da Corte, no conselho.

Schiefler integrou o grupo de juízes auxiliares da Corte que concluíram a fase de depoimentos complementares das 77 pessoas ligadas à empreiteira Odebrecht na Operação Lava Jato, cujas delações foram homologadas por Cármen Lúcia no dia 30 de janeiro, após a morte de Teori.

Para tomar posse no cargo, Márcio Schiefler deverá ter o nome aprovado pelo plenário do Senado. O Conselho é formado por cadeiras destinadas a membros indicados pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) , Justiça do Trabalho, Câmara dos Deputados, Senado e STF.