Política

Dilma participa de evento na capital e fala sobre crise política

Ex-presidente discursou sobre impeachment e aprovações recentes do Senado.




Phillipe Xavier
Phillipe Xavier
Dilma palestrou neste sábado (22) para políticos, líderes sindicais e representantes de movimentos sociais

A ex-presidente Dilma Rousseff esteve em João Pessoa na tarde deste sábado (22) para a conferência de abertura de um curso sobre gestão pública promovido pela Fundação Perseu Abramo, entidade mantida pelo PT. O evento, que aconteceu na reitoria da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), contou com a presença de políticos, líderes sindicais e representantes de movimentos sociais.

Na ocasião, Dilma falou sobre seu processo de impeachment, a que chamou de 'golpe', e afirmou que “a história está sendo implacável com os golpistas como [o presidente Michel] Temer, Aécio [Neves] e [Eduardo] Cunha”. “Se o impeachment era golpe ou não, saiu do terreiro da especulação e está no terreno dos fatos”, frisou.

Em relação à atual crise política do país, a ex-presidente mencionou de maneira negativa aprovações recentes como a da PEC do Teto de Gastos, que limita por 20 anos os gastos públicos, e a da Reforma Trabalhista. “Nós vamos ter que ficar muito alertas porque começam a aparecer coisas muito estranhas como o parlamentarismo, que já foi derrotado por duas vezes no Brasil, e sempre aparece nas crises”, afirmou.

“Temos que lutar para garantir que não haja casuísmos como, por exemplo, tirar o presidente Lula do processo eleitoral. Temos que lutar para que não haja o casuísmo de um parlamentarismo e temos que lembrar que a coisa complicada ocorre depois que ganharmos a eleição. Porque vamos ter de reconstruir o Brasil novamente”, acrecentou.

Dilma aproveitou também para falar sobre machismo, fator que, de acordo com ela, contribuiu para a sua saída da presidência. “Para mim, isso é importante porque ocorre todo santo dia quando a mulher tem algum poder”, mencionou.

“O discurso comigo era assim: 'essa senhora é dura'. E como é que eles se refeririam a um homem? 'Ah, ele é forte' – 'dura' tem um conteúdo subjacente negativo. [Comigo era]: 'essa mulher é obsessiva, trabalha muito, obriga todo mundo a trabalhar'. Como é que é com o homem? 'Ele é muito trabalhador, empreendedor e criativo'”, pontuou.

Avaliações do PT

Segundo o presidente estadual do PT, Jackson Macedo, a capital praibana teve quase 300 inscritos para o 'Curso de Difusão do Conhecimento em Gestão Pública e Resistência ao Golpe', voltado para movimentos sociais e populares, militantes da esquerda e do PT.

“É um curso nacional, que tem alunos inscritos no país todo pela fundação Perseu Abramo, e a Paraíba foi escolhida, de forma muito grata pela gente, para sediar a aula inaugural com a presença de Dilma”, comentou, revelando que a ex-presidente iria se reunir, ainda, com dirigentes do PT no estado e que depois seguiria para o Rio de Janeiro

Sobre o comício pelas 'Diretas Já', que aconteceu na última sexta-feira (21) no Ponto de Cem Réis, Macedo disse estar satisfeito com a adesão política e popular. O ato contou com a participação dos senadores Gleise Hoffmann (PT/PR), João Capibaribe (PSB/AP), Lindbergh Farias (PT/RJ), Humberto Costa (PT/PE), Roberto Requião (PMDB/PR), Fátima Bezerra (PT/RN), além da deputada federal Luciana Santos (PCdoB/PE) e do governador da Paraíba Ricardo Coutinho (PSB).

“Este primeiro comício foi realizado aqui em João Pessoa e ainda vai acontecer nas capitais de todos os outros estados, então para o PT, para os partidos que organizaram, junto com o governador Ricardo Coutinho, e para a Frente Brasil Popular, a avaliação é de que o evento foi bastante positivo”, finalizou.

O coordenador do curso Luís Fernando Vitagliano; o chefe de gabinete da UFPB Raimundo Barroso; Dilma Rousseff; Jackson Macedo; e a secretária Cida Ramos