Política


Líder do governo, Aguinaldo nega crise entre Temer e Rodrigo Maia

Chefes de poderes se reuniram ontem para tratar de interesses do governo. 




Líder do governo na Câmara, o deputado Aguinaldo Ribeiro (PP) foi um dos presentes no encontro na noite desta terça-feira (18) entre o presidente Michel Temer e da Câmara, Rodrigo Maia (DEM). O paraibano negou que haja crise entre os chefes dos dois poderes. “O que existe é muito ruído, num momento como esse, que se tenta jogar as pessoas umas contra as outras. Mas a maturidade dos dois não permite que esse desencontro comprometa a relação”, declarou.

O tema do encontro, segundo o ministro da Secretaria de Governo, Antonio Imbassahy, foi a Reforma da Previdência, dentre outros temas de interesse do governo. “Discutimos a Reforma da Previdência, [porque] precisamos fazer uma avaliação [sobre a reforma]; a questão da sistematização e simplificação do sistema tributário; os sistemas de previdência e saúde. Foi uma reunião muito proveitosa”, disse Imbassahy.

“Tivemos uma reunião hoje no Palácio do Planalto e [foi informado que] o rombo da Previdência previsto para o ano que vem é de R$ 200 bilhões. Isso está constrangendo o orçamento, dificultando investimentos e até trazendo problemas para a prestação de serviço. Então, esse assunto tem que ser encarado com muita realidade”, acrescentou o ministro.

Novas filiações

Com o Congresso Nacional em recesso, o assunto político em Brasília hoje foi a disputa de partidos por deputados insatisfeitos com o PSB, que deixou a base do governo após a divulgação da delação de executivos da JBS. Deputados desejam deixar o partido e estão sendo procurados por outros. Dois desses partidos que disputam os dissidentes são o PMDB, de Temer, e o DEM, de Rodrigo Maia.

Na manhã de hoje, Temer foi até a casa da deputada Tereza Cristina, líder do PSB na Câmara, mas o Planalto negou que o presidente tenha ido falar com Tereza sobre uma possível filiação ao PMDB. A deputada, uma das insatisfeitas com a posição do partido, também conversou hoje com Maia. O encontro de hoje entre Temer e o presidente da Câmara serviu para evitar polêmica entre os dois e seus partidos.

Mais cedo, o senador Romero Jucá (PMDB-RR), em sua conta no Twitter, negou uma crise entre os dois partidos. “O PMDB não está atuando para barrar nenhuma filiação ao DEM, até porque o DEM é aliado de primeira hora. Desminto a tentativa de intriga”, disse. “Aproveito a oportunidade para esclarecer que o presidente do Brasil não trata de filiações partidárias. A hora é de união e trabalho”.