Política

"Terceirização da Educação é antecipar reforma trabalhista", diz Cartaxo

Cotado para o governo em 2018, prefeito condenou ação de Ricardo Coutinho. 




Cotado como nome das oposições para o governo do estado em 2018, o prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PSD), condenou nesta quarta-feira (12) a decisão do governador Ricardo Coutinho (PSB) em abrir seleção para terceirizar a educação do estado. Para Cartaxo, a terceirização da educação é uma antecipação da reforma trabalhista, aprovada ontem no Senado Federal.

“Foi aprovada ontem, mas aqui na Paraíba começaram primeiro”, afirmou Cartaxo, fazendo referência ao edital lançado no último dia 30 de junho, pelo governo do estado, através da Secretária da Educação, para contratação de Organização Social que deverá atuar de forma pactuada na gestão das escolas da rede estadual a partir de agosto. 

Cartaxo disse que não pretende fazer o mesmo na gestão municipal da educação na capital. “Eu faço o contrário. Fiz concurso público para 1300 vagas para educação e dei posse de uma única vez a todos eles”, destacando que a terceirização de áreas essenciais pode prejudicar a prestação do serviço à população. “A precarização dos serviços, a contratação que não dá garantias ao trabalhador, principalmente numa área essencial. Nós estamos falando de educação!”, questionou.

O secretário de comunicação, Luís Torres, rebateu as declarações de Cartaxo. Para ele, quem entende de terceirização é Cartaxo, que não fez nada em João Pessoa e terceirizou a gestão da cidade para o governo do estado".