Política


Ministro da Cultura pede demissão e André Amaral pode assumir o posto

Nome do paraibano pode ser anunciado no retorno de Temer da Noruega.




O ministro interino da Cultura João Batista de Andrade entregou carta de demissão nesta sexta-feira (16) ao presidente Michel Temer (PMDB). A saída antecede a decisão do governo de substituí-lo por um nome do PMDB. Isso porque estaria havendo uma pressão por mais um ministério desde que o partido perdeu o ministério da Justiça, em maio. Um dos nomes cotados é do deputado André Amaral (PMDB), segundo colunista de O Estadão.

Segundo o G1, senadores  PMDB procuraram o presidente para pleitear o Ministério da Cultura, mas enfrentam o seguinte entrave: a bancada mineira do partido na Câmara também quer o posto. A expectativa é de que o governo efetive a troca na Cultura quando o presidente Michel Temer retornar da viagem para Russia e Noruega na sexta-feira (23).

Em carta endereçada a Temer, João Batista fala em "desinteresse em ser efetivado como ministro da Cultura”. “Assim sendo, confirmo minha disposição para contribuir da forma mais proativa possível com a transição de gestão no Ministério da Cultura, até a nomeação dos próximos ministros da Cultura e seu secretário executivo”, acrescenta o texto.

A vaga da Cultura está aberta desde que Roberto Freire (PPS) pediu demissão, em maio deste ano, após a delação da JBS envolver o presidente Michel Temer. Presidente do PPS, Roberto Freire chegou a pedir a demissão do presidente. 

Filiado ao PPS, João Batista é diretor de cinema e televisão, escritor e roteirista. Antes do ministério, foi nomeado secretário de Cultura do Estado de São Paulo na gestão de Geraldo Alckmin, em 2005 e, entre 2012 e 2016, exerceu a função de presidente da Fundação Memorial da América Latina (SP).