Política

Vereador é cassado no Sertão por ter agredido colegas dentro da Câmara

Agressões de Beto Rodrigues aconteceram na sessão de posse do legislativo, em janeiro.




A Câmara Municipal de Pedra Branca cassou o mandato do vereador Beto Rodrigues (PCdoB), por quebra de decoro parlamentar. O ato ocorreu durante sessão ordinária realizada na segunda-feira (29). O placar favorável à cassação foi de sete votos contra apenas um.

Beto Rodrigues é acusado de ter agredido colegas de parlamento durante a sessão de posse no legislativo municipal, em janeiro deste ano. Na ocasião, ele teria atirado um microfone contra o vereador José Dantas, que presidia a sessão.

O momento em que Beto joga o microfone não aparece nas imagens registradas durante a sessão.Nas sessões seguintes, Roberto Rodrigues passou a descumprir o regimento interno, interrompendo o presidente e discutindo com os colegas.

A denúncia de quebra de decoro contra o vereador foi acatada pela Câmara de Pedra Branca no dia 25 de fevereiro. A denúncia foi formulada pelo Partido da República (PR), legenda presidida atualmente pelo prefeito do município, Allan Bastos, e de nada mais do que três dos quatro vereadores que compõem a Mesa Diretora da Câmara Municipal, são eles: Galego Félix (Presidente), Marcos Nazário (vice-presidente) e Ardim Florentino (2º Secretário).

Para o presidente da câmara, Edimilson Félix, o vereador cassado sempre teve uma conduto violenta. “Toda vida ele foi agressivo aqui dentro da câmara. Ele estuda direito e de certa forma tem uma lábia e sempre quis ser superior a todos”, disse.

O vereador cassado nega as acusações e disse que só resta recorrer à justiça. “Eu vou recorrer e eu espero ver na justiça meu direito de exercer minha função da qual venho exercendo nos três mandados”, falou Roberto.

 

A cassação acirrou ainda mais o clima político na cidade. Beto Rodrigues, o ex-prefeito Antônio Bastos e o filho, o prefeito reeleito Allan Bastos (PR), vivem em uma espécie de guerra nos bastidores há alguns anos.

“A postura do vereador Beto, vem sendo questionada pela própria comunidade há anos, bem como pelos seus colegas de bancada, ele feriu a dignidade de todo o Poder Legislativo, pois, já na sessão de posse, jogou o seu microfone contra o Vereador Zé Dantas, um ato que foi ignorado imediatamente por todos os presentes, além disso, ele tem o costume de levantar calúnias contra o prefeito, secretários, vereadores, estudantes, jovens e moradores da cidade sem mesmo que haja provas”, comentou à época Allan Rodrigues.