Política

Governadores unificam posição sobre projeto que regulariza incentivos

Vice-governadora diz que estados do NE querem garantir isenções já existentes.




Divulgação
Divulgação
Lígia Feliciano participou também de reunião dos governadores do Nordeste

Governadores de 16 estados se reuniram hoje (30), em Brasília, para discutir a unificação de posição em projetos de interesse dos estados na Câmara dos Deputados e no Senado, entre eles, o projeto de lei que trata da convalidação dos incentivos fiscais. A crise política e a busca de financiamento para projetos também foram temas do Fórum Permanente de Governadores, ocorrido na residência oficial do governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg. A vice-governadora Lígia Feliciano representou o governo da Paraíba.

O objetivo, segundo Rollemberg, foi traçar uma agenda positiva de interesse do Estado e da sociedade, com assuntos como a ampliação do prazo para pagamento de precatórios. “Também vamos trabalhar para que a compensação previdenciária possa ser descontada, e aquilo que a gente tem a receber da União seja descontado daquilo que pagamos de INSS todos os meses. Isso vai desafogar o governo de Brasília, especialmente diante do que pagamos ao Iprev [Instituto de Previdência dos Servidores do Distrito Federal].”

Os governadores ainda debateram o projeto de lei que permite a securitização de dívidas. “Estamos fazendo um esforço tamanho para que os governos estaduais consigam pagar suas dívidas com os servidores públicos, os fornecedores e os prestadores de serviço e que tenhamos recurso para fazer investimentos tão importantes para a melhoria de vida da nossa população.”

Nordeste

Antes, Lígia Feliciano participou de uma reunião no Escritório de Representação do Governo do Ceará, no bairro Lago Sul. A pauta principal do encontro foi a discussão do projeto de lei (PL) que trata sobre a concessão de benefícios fiscais relativos ao Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e a atual conjuntura política e econômica do país.

O projeto faz parte da chamada Reforma do ICMS e prevê o fim de isenções fiscais a empresas e indústrias. “O relator - Alexandre Baldy - esteve presente e durante a reunião, onde houve varias discussões, nós aprovamos por consenso uma posição do Nordeste em manter o acordo sobre a convalidação do ICMS já aprovado no Senado. Se houver alteração na Câmara, o projeto volta para o Senado”, explicou a vice-governadora Lígia Feliciano.

O relator do projeto, deputado Alexandre Baldy, prevê que as isenções comecem a ser reduzidas já no primeiro ano, até acabarem definitivamente ao fim de 15 anos. Nesta quarta-feira (31) deve acontecer uma nova reunião com os governadores em busca de um consenso. A PL está na Câmara dos Deputados, instância para a qual os governadores se organizam para a aprovação do texto final. Os gestores nordestinos querem que a reforma faça valer a deliberação aprovada nas assembleias legislativas estaduais, garantindo as isenções já existentes.

O projeto faz parte da chamada Reforma do ICMS e prevê o fim de isenções fiscais a empresas e indústrias. “O relator - Alexandre Baldy - esteve presente e durante a reunião, onde houve várias discussões, nós aprovamos por consenso uma posição do Nordeste em manter o acordo sobre a convalidação do ICMS já aprovado no Senado. Se houver alteração na Câmara, o projeto volta para o Senado”, explicou a vice-governadora Lígia Feliciano.