Política


Luís Tôrres diz que PSDB não tem moral para pedir CPI e tucano rebate

“Ele defende o indefensável”, rebate o líder da oposição.




O pedido de abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) foi tema de ‘troca de farpas’ entre o secretário de Estado da Comunicação, Luís Tôrres e o deputado líder da oposição, Tovar Correia Lima (PSDB). Os dois comentaram o assunto na manhã desta terça-feira (30), após a solenidade de assinatura da implantação do Centro Administrativo da ALPB no prédio do Paraíba Palace Hotel.

Tôrres foi ácido ao comentar o assunto e a afirmar que o PSDB não teria moral para exigir a abertura da CPI dos Codificados. Segundo ele, foi à gestão do ex-governador e hoje senador, Cássio Cunha Lima, que potencializou essa modalidade de contratação de servidores no Estado. “Deputado do PSDB falando em codificados é o mesmo que Cássio condenando quem recebe propina da Odebrecht”, provocou.

Autor do pedido de CPI, Tovar Correia Lima afirmou que o secretário apenas reproduzia uma prática já utilizada pelo governador Ricardo Coutinho (PSDB), que, segundo ele, prefere culpar os outros pelas próprias falhas. “O governo do PSDB acabou há quase 10 anos, quem sucedeu Ricardo Coutinho foi ele próprio, antes de Ricardo teve o governador Maranhão e, hoje, Ricardo olha para trás e diz que o resultado de todas as mazelas do Estado foi do PSDB”, disse.

Tovar afirmou ainda que a divulgação da listagem com os codificados “mexeu com o Governo”. O deputado prometeu tentar até as últimas conseqüências a instalação e início das investigações sobre quem são, o que fazem e quanto ganham cada um desses servidores.  

“Luís Tôrres cumpre o seu papel, de defender o indefensável, jogando a culpa nos outros. Aliás, é praxe do governador, sempre que a bomba cai em seu colo, ele diz olha eu não tenho nada a ver com isso, que foi Fulano ou Sicrano. É exatamente o que o secretário está fazendo. Mas, vamos até o fim para abertura da CPI, o Governo do Estado precisa explicar esses dados ao TCE e ao povo da Paraíba”, concluiu.

Aécio investigado

O deputado Tovar Correia Lima voltou a afirmar que deseja ver o senador afastado Aécio Neves (PSDB) - um dos maiores líderes dos tucanos, envolvido em acusação de receber propina de R$ 2 milhões do Grupo JBS -, investigado e, caso seja comprovada a sua culpa, preso.  

“Não adianta tentar proteger quem quer que seja, de qualquer que seja o partido. Reafirmo, nós queremos sim Aécio Neves investigado. Não podem cessar as investigações por conta de ser um partidário nosso ou outro motivo. Se culpado for, merece ser preso”, concluiu.