Política


Pesquisa: Couto é um dos campeões do pequeno expediente na Câmara

Estudo de acadêmica da USP analisou pronunciamentos entre 2000 e 2015. 




Divulgação
Divulgação
Luiz Couto fez 882 discursos na legislatura passada e diz que abordou vários temas

O pequeno expediente da Câmara dos Deputados é o momento em que parlamentares podem discursar sobre assuntos livres por até cinco minutos. O cientista político Davi Moreira analisou 127.782 pronunciamentos entre 2000 e 2015. Ele concluiu que a tribuna no período vira um grande "mural de recados" para bases eleitorais. Um dos campeões é o deputado federal Luiz Couto (PT), considerado também o mais assíduo da bancada da Paraíba.

Ao todo, 2.579 deputados federais diferentes ocuparam cadeiras nas legislaturas analisadas (51ª a 54ª). Desses, 2.262 (88%) realizaram ao menos um discurso no pequeno expediente - a uma média de 59 falas por deputado federal.

No repertório do pequeno expediente, segundo o levantamento, predominam intervenções sobre datas profissionais e homenagens, além de temas municipais e regionais. "O chamado baixo clero (deputados com pouca influência na Câmara) usa os discursos para citar lideranças de sua região, como um prefeito, pastor, empresário, e faz questão de pedir que esses discursos sejam veiculados na Voz do Brasil depois", diz o pesquisador.

A pesquisa de Moreira, que integrou tese de doutorado na USP, mostra que a posição do deputado no xadrez político pouco importa nessas ocasiões. O estudo procurou ainda verificar se há fatores que explicam por que alguns deputados usam mais a tribuna do pequeno expediente do que outros. Descobriu, por exemplo, que siglas associadas à esquerda, como PSOL, PT e PC do B, tendem a usar mais esse espaço.

Espaço amplo

O deputado Luiz Couto (PT-PB) foi um dos "campeões" do pequeno expediente na legislatura passada (2011-2015) - com 882 discursos, ficou em terceiro lugar. Ele reconhece que essa primeira parte das sessões ordinárias do Plenário, com duração máxima de uma hora, não prima pela alta temperatura dos debates, mas ressalta ser um espaço "mais aberto e amplo".

"Tenho falado de temas como direitos humanos, violência, racismo, educação e saúde. Os embates entre oposição e governo ficam mais para o grande expediente", afirma, citando o período com mais tempo de fala (25 minutos) mas sujeito a sorteio para definição de oradores.

Em seu primeiro mandato, Teixeira era conhecido pela busca por visibilidade - chegou a presidir mais de cem sessões da Câmara, mesmo sem integrar a Mesa Diretora. Em entrevista ao jornal O Globo em 2013, ele dizia contabilizar todas suas horas no posto, aparições na Voz do Brasil e nos meios de comunicação da Casa. "Estive na Voz do Brasil de quinta a quinta semana passada", disse orgulhoso o ex-deputado ao jornal na ocasião.