Política

Renato Martins quebra o silêncio e faz acusações de corrupção no PSB

Ex-vereador faz ilações sobre o dirigente e cita a existência de “codificados”.




Rizemberg Felipe
Rizemberg Felipe

O ex-vereador Renato Martins se manifestou por meio de carta pública encaminhada à imprensa, nesta segunda-feira (29), sobre o processo de expulsão do Partido Socialista Brasileiro (PSB), sofrido na última semana. Sem papas na língua, o agora assessor parlamentar do gabinete do senador Cássio Cunha Lima (PSDB), disse que só soube da desfiliação por meio da imprensa. Ele fez novas acusações de corrupção dentro do PSB e citou uma passagem nada republicana envolvendo o presidente municipal da legenda em João Pessoa, Ronaldo Barbosa.

Renato afirmou que Barbosa decretou o processo de expulsão do PSB sob ordens superiores. O ex-vereador ainda insinuou que o dirigente solicialista teria participado de ato de corrupção envolvendo a Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur), no ano de 2010, na época em que a Prefeitura de João Pessoa era comandada por Ricardo Coutinho (PSB).

“Em dezembro de 2010 eu ainda na Emlur fui procurado pelo mesmo (Ronaldo Barbosa) que dizia que uma empresa da família que tanto servia ao PSB, nas palavras dele, tava com a folha atrasada, e também me falava do abandono após a campanha e tal… precisava de 5 mil reais. Eu o levei até a sala dos outros diretores a época, comuniquei o problema e saí da sala deixando-os a sós. Depois ele saiu de lá sorridente, apertou minha mão e me deu um abraço forte, até hoje só imagino o motivo da alegria e do abraço”, escreveu.

O ex-vereador ainda afirmou que o PSB da Paraíba é composto, em sua maioria, de filiados de bem,
mas inocentes por não conseguirem enxergar suposta “sujeira” na Cúpula partidária. “Conheço essa função como poucos, e nela às vezes ficamos temporariamente cegos e não vemos a sujeira embaixo do tapete. Sentimos o odor mas não o vemos. A verdade chegará. E logo estaremos muitos de nós juntos…”, relata.

Por fim, Martins cobra desfecho das investigações sobre o caso Jampa Digital. Ele relata o caso dos servidores codificados no Governo do Estado e cita, sem dizer o significado, a existência de possíveis “super codificados empreendedores” na administração socialista. “Veremos o que falarão se sair uma lista dos super 'codificados empreendedores' de 2014 e 2016, tem até mandatários menores que sabem bem disso. Para isso eles não querem ter julgamento 'ético rápido' não. Aliás julgamento de tipo nenhum. Sobre coisas deste tipo só querem é morosidade e silêncio. Ao preço que for”, declara.

Após não conseguir a reeleição no pleito municipal de 2016, Renato Martins foi protagonista de uma polêmica envolvendo lideranças socialistas. Um áudio vazado de conversa no aplicativo WhatsApp revelou acusações do ex-vereador contra integrantes do Governo do Estado e parlamentares eleitos pelo PSB pela prática de suposta corrupção. O caso foi abafado após Martins admitir descontrole emocional causado pela derrota nas urnas.

Confira a carta divulgada pelo ex-vereador Renato Martins:

Vivo dias de oração e apego a meu pai já há uma semana internado por problemas cardíacos. Deus o levantará.

Sobre o “PSB” tudo que vi foi por mídia. Pra não perder muito tempo, precioso mais que nunca agora. Então resumo em tópicos minha visão:

1- Ronaldo Barbosa é pessoa boa, age por ordens, à ele minhas melhores memórias, em especial fico com uma quando em dezembro de 2010 eu ainda na Emlur fui procurado pelo mesmo que dizia que uma empresa da família que tanto servia ao PSB, nas palavras dele, tava com a folha atrasada, e também me falava do abandono após a campanha e tal… precisava de 5 mil reias. eu o levei até a sala dos outros diretores a época, comuniquei o problema e sai da sala deixando-os a sós. Depois ele saiu de lá sorridente, apertou minha mão e me deu um abraço forte, até hoje só imagino o motivo da alegria e do abraço. Enfim, tempos de utilidade já passados, mas faço desse abraço minha resposta a ele em intensidade e energia, pois repito sei que ele só agiu neste caso de ontem ao arrepio da lei por ordens superiores.

2- O PSB/PB tem uma grande maioria de filiados de bem, pessoas que amo e admiro, muitas inocentes úteis. Sei bem o que falo quando uso o termo inocente útil. Conheço essa função como poucos, e nela às vezes ficamos temporariamente cegos e não vemos a sujeira embaixo do tapete. Sentimos o odor mas não o vemos. Por isso, a esses minha compreensão, estarei sempre de braços abertos pronto a recebê-los, falar de bem destes e desde já aguardando-os. Ao dispor sempre mesmo. Abração a todos que me mandam mensagem no privado. A verdade chegará. E logo estaremos muitos de nós juntos…

3- Por outra lado, o caso da lista de codificados demonstra simbolicamente muito bem a praxe dos mandantes deles. Uma “entrevista” de cúpula a negá-las tem muita coisa em comum com Holywood, a diferença é que os atores de lá são ricos fazendo arte confessa, com o ingresso pago no cinema por nossa livre escolha e não nos fazendo vítimas. Veremos o que falarão se sair uma lista dos super “codificados empreendedores” de 2014 e 2016, tem até mandatários menores que sabem bem disso. Para isso eles não querem ter julgamento “ético rápido” não. Aliás julgamento de tipo nenhum. Sobre coisas deste tipo só querem é morosidade e silêncio. Ao preço que for.

4- Por fim, sei que são os abastados que impõem uma ética de crime organizado, inclusive criando ranking de méritos baseado em feitos de crime organizado e não feitos de cidadania como os meus por exemplo, são poderosos e PERIGOSOS chefões, são eles que estão por trás das ações injustas, esses que não querem julgamentos reais. Julgamentos de fatos socialmente relevantes nocivos e reais. Preferem destratar inocentes e honestos como eu.

Se querem justiça e julgamentos sérios porque não permitiram o propinoduto de ser investigado? Algo ocorreu lá para não avançarem, o que foi? Quem foi?
O Jampa Digital alguns almoços ou idas a Brasília resolvem tudo? O a margem não merece também essas investigações éticas?
No Cuiá existiu empresas de Fortaleza que estariam envolvidas, como diz a investigação? São doadoras até? quem seriam seus donos? elas existem? São de filiados ou ligados a alguns que poderiam ser investigados também por essa onda “ÉTICA” que tá aí agora?
Isso pra ficar só por aqui… Vou voltar para o que me importa. A VIDA!

A época da justiça chegará, e nela os humilhados serão exaltados. E não será mais um ataque ilegal imposto por uma ética de crime organizado que intimidará a luta dos honestos, que na vida nada tem, a não ser seus próprios feitos pela cidadania.