Política


Oposição já conta com 11 assinaturas para o pedido da CPI dos Codificados

Líder diz que não deverá enfrentar dificuldades para instalar a Comissão.




Assessoria/ALPB
Assessoria/ALPB

O líder da bancada de oposição na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), deputado Tovar Correia Lima (PSDB), já conta com 11 assinaturas no pedido de instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar os servidores “codificados” da Secretaria de Saúde do Estado. Segundo Tovar, falta apenas uma assinatura, que deverá ser a do deputado João Henrique (Democratas), para completar o número de um terço do total de parlamentares da Casa, conforme determina o Regimento Interno.

O líder oposicionista ressaltou que alguns deputados de situação, a exemplo de Tião Gomes (PSL) e Jeová Campos (PSB) já sinalizaram que querem promover o debate sobre os codificados do Estado. “Se eles querem discurtir a questão dos codificados em outras épocas, vamos abrir a CPI. Quero por em xeque a transparência do Governo do Estado em relação a essa questão para que a gente possa estabelecer para toda a Paraíba o escândalo envolvendo esses codificados”,

Segundo o deputado, vários servidores citados em lista de codificados divulgada pela imprensa, estão se manifestado pelas redes sociais on-line e buscando a imprensa para informar que não estão trabalhando e alguns até informando que sequer moram na Paraíba. Este tipo de funcionário não consta na relação oficial dos servidores do Estado e recebem seus vencimentos apresentando apenas o número do CPF.

“O Governo contrata prestadores de serviços desde a década de 90, mas codificados passou a existir na gestão do governador Ricardo Coutinho. Esse é mais um escândalo de uma gestão que não respeita as leis, que não sabe o que é transparência pública e que tenta desmoralizar as instituições”, disse o deputado.
Por fim, Tovar Correia Lima disse que a oposição está confiante na aceitação da abertura da CPI dos Codificados e que a Mesa Diretora não irá barrá-la, a exemplo do pedido referente a Comissão Parlamentar para investigar o programa Empreender Paraíba. “Acredito no bom senso do presidente Gervásio Maia (PMDB), após concluirmos as assinaturas vamos a Mesa Diretora e acreditamos que conseguiremos estudar esse problema a fundo”, disse.

 Caixa preta

A deputada estadual Camila Toscano (PSDB) cobrou a investigação sobre a “caixa preta dos codificados”. Segundo ela, essa modalidade adotada pelo governo Ricardo Coutinho serve exclusivamente para manter uma base de eleitores. “Nós queremos uma resposta do Governo do Estado para os quase R$ 30 milhões gastos com servidores que recebem como codificados. Fica claro que essa é uma forma de se garantir cabide de emprego em troca de votos”, disse a deputada.

Camila revelou ainda que muitos desses servidores codificados não recebem o que consta na lista que foi divulgada. “Temos casos de pessoas com salários altos, mas que recebem apenas metade ou menos que isso. Precisamos saber para onde está indo o dinheiro público”, afirmou.