Política

Cartaxo cobra aprofundamento nas investigações contra Michel Temer

Prefeito disse que situação do presidente da República é insustentável.




O prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PSD), defendeu na manhã desta segunda-feira (22) o aprofundamento das investigações relativas a suposto aval do presidente da República, Michel Temer (PMDB), para comprar o silêncio do deputado cassado e ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), preso na operação Lava Jato. A denúncia veio à tona após a divulgação de áudio de uma conversa entre o empresário Joesley Batista, do grupo JBS, e Temer.

De acordo com Luciano Cartaxo, a crise no Governo Federal tem prejudicado diretamente os municípios. “É fundamental que haja avanço nas investigações e que possamos sair desse momento difícil. O país está literalmente paralisado, e quem está a frente de municípios importantes, como é o caso de João Pessoa, sofre na pele com a falta de investimento, de planejamento e de liberação de recursos”, comentou.

O prefeito ainda comentou que a situação de Michel Temer no poder é praticamente insustentável e que a governabilidade está prejudicada. Para ele, caso a saída do presidente do mandato seja confirmada, o Congresso Nacional deverá se reunir de forma urgente para modificar a Constituição Federal com medidas que permitam a realização de eleições diretas. “Não dá para o país ficar sangrando como está o tempo todo, nesse processo de desgaste da classe da política”, opinou.

Por fim, Cartaxo preferiu não opinar sobre o posicionamento do PSD quanto a continuidade na base do Governo Federal, deixando a decisão para a Executiva Nacional da legenda. “O Brasil está em um momento muito difícil, que envolve praticamente todos os partidos”, resumiu.

Direito de defesa

Já o vice-prefeito Manoel Júnior (PMDB) preferiu se esquivar do tema e não opinar sobre a possibilidade de afastamento de Michel Temer. “Esperamos que a tranquilidade possa voltar. Nós que somos municípios, queremos que o Brasil dê certo e que possa voltar a gerar empregos, renda e que essas crises não atinjam as administrações municipais que é onde o cidadão mora, onde as coisas acontecem”, comentou.

Mesmo diante da insistência da imprensa, Manoel Júnior evitou tecer comentários sobre a denúncia envolvendo o presidente da República. Para ele, Michel Temer tem direito a se defender das acusações que lhe são atribuídas. Quanto ao nível de governabilidade do país, o ex-deputado federal disse que dependerá do comportamento do Congresso Nacional.